Variação dimensional da madeira tratada de Eucalyptus grandis e Eucalyptus cloeziana

Autores

  • Douglas Edson Carvalho
  • Elio Jose Santini
  • Magnos Alan Vivian
  • Danilo Leão De Freitas
  • Rafael da Rosa Azambuja

DOI:

https://doi.org/10.18188/sap.v14i3.9439

Palavras-chave:

Eucalipto, Massa específica, Retratibilidade

Resumo


O presente estudo teve como objetivo avaliar o comportamento das variações dimensionais das madeiras tratadas de Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden e de Eucalyptus cloeziana F. Muellé. Foram confeccionados corpos de prova devidamente orientados, com dimensões de 20 x 20 x 100 mm, com maior dimensão no sentido longitudinal, adaptadas as dimensões da norma COPANT 30:1-005. Para cada espécie foram utilizados 15 corpos de prova. As medidas dos sentidos radial, tangencial e longitudinal foram obtidas com o auxílio de um paquímetro digital de 0,01 mm de precisão, assim como a massa (g) dos corpos de prova em balança analítica de 0,01 g de precisão. Os valores obtidos da massa específica da madeira das espécies apresentaram diferenças significativas, assim como na avaliação das características da contração, mesmo comportamento foi identificado para o inchamento da madeira. Os valores encontrados para anisotropia de contração e anisotropia de inchamento não apresentaram diferença estatística entre si e nem entre as espécies. Conforme a literatura sobre retratibilidade de Durlo e Marchiori (1992), as espécies em estudo enquadram-se como madeiras normais.

Downloads

Publicado

18-09-2015

Como Citar

CARVALHO, D. E.; SANTINI, E. J.; VIVIAN, M. A.; FREITAS, D. L. D.; AZAMBUJA, R. da R. Variação dimensional da madeira tratada de Eucalyptus grandis e Eucalyptus cloeziana. Scientia Agraria Paranaensis, [S. l.], v. 14, n. 3, p. 178–182, 2015. DOI: 10.18188/sap.v14i3.9439. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/scientiaagraria/article/view/9439. Acesso em: 2 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos Científicos