A “LEI DO BOI” E A RELAÇÃO ENTRE EDUCAÇÃO E PROPRIEDADE: O CASO DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO

Autores

  • Wallace Lucas MAGALHÃES

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v21i2.16180

Resumo


Este artigo busca analisar a relação entre propriedade rural e educação, institucionalizada através da Lei Federal nº 5.465, de 3 de julho de 1968, conhecida como “lei do boi”. A referida lei, revogada em 1985, estabeleceu um sistema de reserva de vagas, nos cursos de Agronomia e Veterinária mantidos pela União, em seus níveis técnico e superior para candidatos que comprovassem relação com a agropecuária, em especial títulos de propriedade. Proposta pelo Deputado Federal Ultimo de Carvalho (PSD-MG), declarado defensor da propriedade privada e da qualificação da força de trabalho pela educação, a lei foi promulgada em pleno desenvolvimento da agricultura capitalista. Partindo dessas premissas, a pesquisa analisou uma instituição destinatária da “lei do boi”, a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, de forma a investigar, durante sua vigência, quem foram os maiores beneficiários da lei.

Downloads

Publicado

20-12-2017

Como Citar

MAGALHÃES, W. L. A “LEI DO BOI” E A RELAÇÃO ENTRE EDUCAÇÃO E PROPRIEDADE: O CASO DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO. Tempos Históricos, [S. l.], v. 21, n. 2, p. 434–464, 2017. DOI: 10.36449/rth.v21i2.16180. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/16180. Acesso em: 11 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos