ONDE MORAM OS POBRES: HABITAR E DISPUTAR A CIDADE

Autores

  • Renato Jales SILVA JUNIOR

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v21i1.17091

Resumo


Este artigo discute aspectos referentes às diferentes formas de luta pela cidade, bem como as tentativas do poder público de impor formas de morar e viver à população mais pobre de Uberlândia, MG, entre as décadas de 1960 e 1990. Igualmente, analisamos os conflitos vividos em torno da habitação e, ainda, as formas com que diferentes mandatos do poder executivo local lidaram com as políticas habitacionais, utilizando-as tanto para favorecer determinados grupos econômicos quanto para se aproximar da população. Ao longo da reflexão interpretamos os lugares e modos de morar, procurando questionar noções comuns como “moradia popular” e “moradia de pobres”, as quais carregam conotações políticas e culturais acerca dos modos de viver dos sujeitos. Estes, por vezes, incorporaram aquelas essas noções e, ao mesmo tempo, dialeticamente, devolveram ao poder público pautas e reivindicações que mudaram seus bairros, transformaram necessidades em direitos e reordenaram correlações de força.

Downloads

Publicado

20-06-2017

Como Citar

SILVA JUNIOR, R. J. ONDE MORAM OS POBRES: HABITAR E DISPUTAR A CIDADE. Tempos Históricos, [S. l.], v. 21, n. 1, p. 70–99, 2017. DOI: 10.36449/rth.v21i1.17091. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/17091. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático