“ROMPENDO COM A NATUREZA ARTESANAL DE NOSSO FUNCIONAMENTO”. AÇÕES ARMADAS, REDES SOCIAIS E PRAGMATISMO DO PCBR DURANTE A DÉCADA DE 1980

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v21i2.17780

Palavras-chave:

Partido Comunista Brasileiro Revolucionário, Partido dos Trabalhadores, Redemocratização, Nova República, Esquerdas Armadas

Resumo


O artigo analisa a tentativa de assalto a banco executada pelo Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR) na Bahia em 1986 e os conflitos resultantes dela, envolvendo principalmente o Partido dos Trabalhadores (PT). A frustração do assalto revelou controversos meios usados por militantes do PCBR para obter recursos financeiros com finalidades político-partidárias, vinculando-o a ações de luta armada típicas das décadas anteriores, comportamento em franco descenso entre as esquerdas naquele período. Uma análise mais detida sobre o assalto em Salvador revela profundos conflitos sociais, políticos e jurídicos que marcaram a redemocratização do Brasil pós-ditadura e permite compreendê-lo para além da frequente ignomínia com a qual ele é explicado.

 

Biografia do Autor

Lucas Porto Marchesini TORRES, Unicamp

Doutorando em História Social na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), bolsista Fapesp e autor do livro Estratégias de uma esquerda armada. Militância, assaltos e finanças do PCBR na década de 1980. Salvador: Edufba, 2017. E-mail: lucaspmt@hotmail.com.

Downloads

Publicado

20-12-2017

Como Citar

TORRES, L. P. M. “ROMPENDO COM A NATUREZA ARTESANAL DE NOSSO FUNCIONAMENTO”. AÇÕES ARMADAS, REDES SOCIAIS E PRAGMATISMO DO PCBR DURANTE A DÉCADA DE 1980. Tempos Históricos, [S. l.], v. 21, n. 2, p. 180–208, 2017. DOI: 10.36449/rth.v21i2.17780. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/17780. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático