As participações indígenas nas guerras no Cabo do Norte

Autores

  • Bruno Rafael Machado Nascimento Professor de História da Secretaria Estadual de Educação do Estado do Amapá e professor substituto no colegiado de História da UNIFAP. https://orcid.org/0000-0003-2127-1400

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v25i1.24531

Palavras-chave:

Agências indígenas, Guerras, Fortificações.

Resumo


Este artigo tem objetivo de desvelar as agências indígenas nos conflitos entre portugueses, holandeses, ingleses e irlandeses pela conquista do Cabo do Norte (parte do atual Estado do Amapá) na primeira metade do século XVII. A partir da leitura histórica e antropológica das fontes, percebeu-se como os ameríndios criaram táticas de sobrevivência em contextos desfavoráveis, e como os europeus foram dependentes dessas sociedades que conheciam muito bem a Amazônia, sobretudo, nas guerras por controle do território. Demonstra-se como as alianças com as populações nativas e os usos de seus guerreiros em combates foram decisivas para as vitórias ou derrotas dos colonizadores.

Biografia do Autor

Bruno Rafael Machado Nascimento, Professor de História da Secretaria Estadual de Educação do Estado do Amapá e professor substituto no colegiado de História da UNIFAP.

Mestre em Ensino de História (PROFHISTÓRIA-UNIFAP), pesquiso as presenças jesuíticas e indígenas na Amazônia colonial (Brasil e Guiana francesa), o ensino da História escolar e História do Amapá. 

Downloads

Publicado

18-06-2021

Como Citar

NASCIMENTO, B. R. M. As participações indígenas nas guerras no Cabo do Norte. Tempos Históricos, [S. l.], v. 25, n. 1, p. 286–322, 2021. DOI: 10.36449/rth.v25i1.24531. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/24531. Acesso em: 24 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos