Construções e reconstruções: uma ressignificação do olhar para com as musas

Autores

  • Shirley Elias Vilela

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v15i1.5705

Palavras-chave:

musas, beleza, boneca

Resumo


Este trabalho versa sobre a construção ideológica de mulheres musas, beleza, da relação de consumo desta imagem e de como ela se estabelece no imaginário social. Ser musa, diva, estrela de cinema significava tornar-se também mito. Muitos artifícios vão transformar esta diva em um ser quase sobrenatural perante o olhar do outro. Greta Garbo, Marlene Dietrich, Ava Gardner, Jane Russel, Brigitte Bardot entre muitas outras se tornam profissionais das telas capazes de incorporar a atração imediata. É por meio do cinema e das diversas mídias visuais que se constrói uma falsa democracia da beleza e a ilusão de que um dia, pessoas comuns poderiam também tornar-se referenciais.  Entre estas, uma se destaca por não ser humana. Barbie, uma boneca, apareceu em uma década de extrema exaltação da beleza feminina e incorporou um pouco de cada uma destas beldades.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

VILELA, S. E. Construções e reconstruções: uma ressignificação do olhar para com as musas. Tempos Históricos, [S. l.], v. 15, n. 1, p. 203–215, 2000. DOI: 10.36449/rth.v15i1.5705. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/5705. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: História, Cinema e Música