Sonoridades urbanas e engajamento juvenil no Chile dos anos de 1960

Autores

  • Mariana Oliveira Oliveira Arantes

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v15i1.5706

Palavras-chave:

Chile, música popular, engajamento político

Resumo


O presente artigo objetiva analisar o cenário musical chileno dos anos de 1960 a partir de três fenômenos musicais: o Neofolclore, a Nova Onda e a Nova Canção Chilena, que renovaram o repertório popular nacional, visando modernizar a canção popular urbana. O intuito de dar uma nova “roupagem” as formas musicais folclóricas do país investe-se de significado devido a questões caras ao período, como o conflito entre a oligarquia rural do país, relacionada a uma suposta tradição musical nacional, e setores sociais emergentes, como as camadas médias e os jovens, atrelados à uma cultura urbana e transnacional, que reivindicavam inovações na sociedade.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

ARANTES, M. O. O. Sonoridades urbanas e engajamento juvenil no Chile dos anos de 1960. Tempos Históricos, [S. l.], v. 15, n. 1, p. 216–239, 2000. DOI: 10.36449/rth.v15i1.5706. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/5706. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: História, Cinema e Música