As relações familiares estabelecidas no cativeiro e no pós-abolição em Palmas-PR

Autores

  • Ana Paula Pruner De Siqueira

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v16i1.7942

Palavras-chave:

Escravidão, tutela, ingênuos, relações familiares escravas e Paraná.

Resumo


O presente trabalho tem por objetivo reconstruir trajetórias de vida de famílias escravas e de seus descendentes que viveram na região de Palmas-PR. Para tanto, o corpus documental utilizado para a análise das relações familiares no cativeiro são os registros paroquiais, como os assentos de batismo, casamento e óbito da Paróquia da Freguesia do Senhor Bom Jesus de Palmas (1843-1890). Para o momento posterior ao 13 de maio de 1888, optamos pelos processos de tutela envolvendo ex-escravas e ingênuos. Além disso, recorremos à análise dos inventários post-mortem dos proprietários de Palmas (1859-1889) e dos processos criminais (1848-1889) existentes no Arquivo do Fórum Municipal de Palmas. Mesmo com uma pequena escravaria ao longo da segunda metade do século XIX, os campos de Palmas vivenciaram relações familiares envolvendo escravos.

Downloads

Publicado

05-04-2013

Como Citar

DE SIQUEIRA, A. P. P. As relações familiares estabelecidas no cativeiro e no pós-abolição em Palmas-PR. Tempos Históricos, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 151–171, 2013. DOI: 10.36449/rth.v16i1.7942. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/7942. Acesso em: 11 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático