AS AÇÕES DE CONTROLE SOCIAL NAS METRÓPOLES BRASILEIRAS DA BÉLLE ÉPOQUE

Antonio Firmino de Oliveira Neto, Carlos Martins Junior

Resumo

Na passagem do século XIX para o XX, período circunscrito à chamada Bélle Époque, o Brasil passou por mudanças estruturais, que se refletiam na paisagem das grandes cidades, sobretudo Rio de Janeiro e São Paulo. No intuito de enfrentar a ameaça do “caos urbano” derivado do crescimento físico e demográfico das metrópoles, as elites dirigentes urbanas aprofundaram um abrangente processo de reformas, cujo sentido ultrapassava em muito a idéia da simples “remodelação” e “embelezamento” das cidades. Partindo de referenciais teóricos e conceituais da História Urbana e da premissa de que essas reformas estiveram atreladas a uma ampla lógica disciplinar, envolvendo, portanto, diversos dispositivos de poder, este artigo tem por objetivo analisar os aspectos que ensejaram tais reformas, suas características e seus impactos sobre o cotidiano das classes populares urbanas.

 

 

Palavras-chave

reformas urbanas; ordenamento social; Bélle Époque;

Texto completo:

PDF