EDUCAR É SEMPRE UM ATO POLÍTICO: DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS

Autores

  • Fernanda dos Santos Paulo Associação de Educadores Populares de Porto Alegre (AEPPA) e Movimento de Educação Popular (MEP) Universidade do Oeste de Santa Catarina – PPGed Fórum Estadual de EJA do RS. Integrante do Fórum de Estudos: Leituras de Paulo Freire do RS. https://orcid.org/0000-0002-8022-9379
  • Sergio Trombetta Faculdades Integradas de Taquara, FACCAT, Brasil. Integrante do Fórum de Estudos: Leituras de Paulo Freire do RS https://orcid.org/0000-0002-6297-6717

DOI:

https://doi.org/10.48075/ri.v24i2.25553

Palavras-chave:

Política. Paulo Freire. Educação humanizadora. Educação capitalista.

Resumo


O pensamento que perpassa o texto é de que não é possível separar educação e política. A reflexão situa-sena contribuição de Paulo Freire para o campo da pedagogia e da filosofia da educação a partir da relação entre Educação e Política, sobretudo em tempos de um projeto de sociedade ultraneoliberal. Abordaremos sobre as teses centrais de Freire em mostrar que a educação é um ato político, e o discurso que se esforça em negar esse status para a educação é um discurso ideológico, pois busca encobrir a realidade através de uma pseudoneutralidade da ação educativa. Freire é incisivo em abordar essa questão; entendemos que a clareza de seu pensamento continua a elucidar essa questão em tempos de globalização excludente e da avalanche de visões neotecnicistas em educação, como ocorre nos dias atuais.

Biografia do Autor

Fernanda dos Santos Paulo, Associação de Educadores Populares de Porto Alegre (AEPPA) e Movimento de Educação Popular (MEP) Universidade do Oeste de Santa Catarina – PPGed Fórum Estadual de EJA do RS. Integrante do Fórum de Estudos: Leituras de Paulo Freire do RS.

Doutora em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos/Unisinos, Bosista Capes - Proex (2014-2018). Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul/UFRGS, Bosista CNPq (2012-2013). Especialista em Educação Popular: Gestão de Movimentos Sociais pelo Brava Gente e Instituto IVOTI (2007-2010). Graduada em Pedagogia pelo Centro Universitário Metodista/IPA (2006-2008). Curso Normal em nível médio-Magistério.Educadora Popular na Associação de Educadores Populares de Porto Alegre/AEPPA e coordenadora do Núcleo de formação política e do Grupo de Trabalho de construção de Propostas de Cursos de Extensão, Graduação e Especialização para Educadores Populares. Professora do Instituto de Desenvolvimento Social Brava Gente em parceria com a Faculdade Santo Augusto/FAISA. Atuaou  nos cursos de Especialização e Extensão. Professora Tutora da Uniasselvi/IERGS no curso de Pedagogia. Integrante do Grupo de Pesquisa: "Mediações Pedagógicas e Cidadania", na UNISINOS. Professora do Mestrado e Doutorado do PPGEd/UNOESC. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Popular, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação não Escolar; Educação Infantil, Educação de Jovens e Adultos, Ensino Superior, Pedagogia freireana, Formação de Educadores Populares, Políticas Públicas educacionais e história e memória da Educação Popular.

Sergio Trombetta, Faculdades Integradas de Taquara, FACCAT, Brasil. Integrante do Fórum de Estudos: Leituras de Paulo Freire do RS

Possui graduação em Filosofia pela Faculdade de Filosofia Nossa Senhora da Imaculada Conceição (1992) e mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1997). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Antropologia, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, Paulo Freire, ética, sociedade, democracia e direitos humanos.

Downloads

Publicado

24-06-2021

Como Citar

PAULO, F. dos S.; TROMBETTA, S. EDUCAR É SEMPRE UM ATO POLÍTICO: DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS. Ideação, [S. l.], v. 23, n. 2, p. 7–30, 2021. DOI: 10.48075/ri.v24i2.25553. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/ideacao/article/view/25553. Acesso em: 9 dez. 2021.