ORGANIZAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA PRODUÇÃO DO CAFÉ NO PARANÁ Spatio-temporal coffee production organization in Paraná

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/igepec.v25i0.26338

Palavras-chave:

Agronegocio, especialização, regionalização, análise espacial.

Resumo


O café está entre as principais culturas agrícolas do Paraná. Porém, após a retração desta cultura, decorrente, sobretudo, das dificuldades de recuperação das lavouras após a geada negra de 1975 e da expansão de outros cultivos no território, como a soja, o milho e o trigo, houve uma expressiva mudança na dinâmica espacial e na estrutura da produção agropecuária paranaense. O objetivo deste estudo foi verificar a dinâmica espacial ocorrida na cafeicultura do Paraná. Os dados são oriundos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e do Banco Central do Brasil. Foi realizada a análise de concentração para área colhida, quantidade produzida e do valor bruto de produção, para mensurar a convergência do mercado de cada mesorregião. Em seguida, foi realizada a análise de quociente locacional, para identificar as microrregiões especializadas na produção de café. Por fim foram efetivadas as análises de componentes principais e de agrupamentos, para caracterizar a estrutura e a dinâmica dos sistemas de produção de café nas microrregiões paranaenses especializadas na cafeicultura. A partir dos resultados foi possível verificar que entre 1997 e 2016, ocorreu uma contração da lavoura de café, com uma queda de 66,5% na área colhida e 71,5% na produção. Além disso, houve uma redução no número de microrregiões especializadas na cafeicultura, passando de 13 em 1997, para 9 em 2016. Foram identificados dois componentes principais que, juntos, explicaram 88,06% da variabilidade dos dados, sendo nominados por produção técnica e produção destinada a indústria de torrefação e moagem de café. Com base na análise de agrupamentos foram definidos quatro grupos, que se distinguiram em relação à especialização na produção do café, do número de fábrica de torrefação e moagem de café, da quantidade e tipo de crédito rural concedido aos produtores (familiar ou patronal) e do número de trabalhadores na lavoura. Dentre as transformações no processo produtivo do café, observou-se o deslocamento espacial ao longo do tempo, que resultou em mudanças significativas nas regiões especializadas na cafeicultura paranaense.

Referências

ALMEIDA, E.S.; PEROBELLI, F.S.; FERREIRA, P. Existe convergência espacial da produtividade agrícola no Brasil? Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 46, n. 1, p. 31-52, 2008.

ALVES, E.L.; PEREIRA, F.A.C.; DALCHIAVON, F.C. Potencial econômico da utilização de micro-terraceamento em lavouras de café: um estudo de caso. Revista iPecege, v. 3, n. 1, p. 24-38, 2017.

ANSELIN, L. Local indicators of spatial association – LISA. Geographical Analysis, v. 27, n. 2, p. 93-115, 1995.

BAIN, J. Industrial organization. New York: John Wiley & Sons, 1959.

BARROS, P.H.B.; OLIVEIRA, R.A.; BAGGIO, I.S. Coffee productivity and regional development in Brazil. Revista de Política Agrícola, v. 28, n. 2, p. 76, 2019.

BLISKA JÚNIOR, A.; FERRAZ, A.C.O.; LEAL, P.A.M.; TURCO, P.H.N.; BLISKA, F.M.M. Validação do método de identificação do grau de gestão na produção cafeeira utilizando grupo focal. Revista de Economia Agrícola, v. 62, n. 1, p. 41-54, 2015.

BLISKA, F.D.M; MOURÃO, E.A.B.; AFONSO JÚNIOR, P.C.; VEGRO, C.L.R.; PEREIRA, S.P.; GIOMO, G.S. Dinâmica fitotécnica e socioeconômica da cafeicultura brasileira. Informações Econômicas, v. 39, n. 1, p. 5-18, 2009.

BOAVENTURA, P.S.M.; ABDALLA, C.C.; ARAÚJO, C.L.; ARAKELIAN, J.S. Value co-creation in the specialty coffee value chain: the third-wave coffee movement. Revista de Administração de Empresas, v. 58, n. 3, p. 254-266, 2018.

FAO – Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura. FAOSTAT. Disponível em: < http://www.fao.org/faostat/en/>. Acesso em: 16 out. 2018.

FÁVERO, L.P.; BELFIORE, P. Análise de dados: técnicas multivariadas exploratórias. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

FERRARIO, M.N.; SANTOS, A.A.L.; PARRE, J.L.; LOPES, R.L. Uma análise espacial do crescimento econômico do estado do Paraná para os anos 2000 e 2004. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, v. 3, n. 1, p. 154-177, 2009.

FURTADO, C. Formação econômica do Brasil. 34ª Ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

GIOMO, G.S.; PEREIRA, S.P.; BLISKA, F.M.M. Panorama da cafeicultura orgânica e perspectivas para o setor. O Agronômico, v. 59, n. 1, p. 33-36, 2007.

GREENE, W.H. Econometric analysis. New Jersey: Pearson/Prentice Hall, 2008.

GROSSI, J.C. Administrar o agronegócio do café é o maior desafio. Preços Agrícolas, v. 12, n. 142, p. 8, 1998.

HADDAD, E.A.; HEWINGS, G.J.D.; BAER, W. The spatial formation of the Brazilian economy: historical overview and future trends. Geographia Polonica, v. 72, n. 1, p. 89-106, 1999.

HORVAT, R.; WATANABE, M.; YAMAGUCHI, C.K. Fertilizer consumption in the region MATOPIBA and their reflections on Brazilian soybean production. International Journal of Agriculture and Forestry, v. 5, n. 1, p. 52-59, 2015.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Agrícola Municipal. Disponível em: < http://www.sidra.ibge.gov.br/>. Acesso em: 10 set. 2018.

ISSERMAN, A. The Location Quotient Approach to Estimating Regional Economic Impacts. Journal of the American Planning Association, v. 43, n. 1, p. 33-41, 1977.

KAISER, H.F. The application of electronic computers to factor analysis. Educational and Psychological Measurement, v. 20, n. 1, p. 141-151, 1960.

MARTIN, N.B.; VEGRO, C.L.R.; MORICOCHI, L. Custos e rentabilidade de diferentes sistemas de produção de café. Informações Econômicas, v. 25, n. 8, p. 35-50, 1995.

MATOS, P.F.; PESSÔA, V.L.S. A modernização da agricultura no Brasil e os novos usos do território. Geo Uerj, v. 2, n. 22, p. 290-322, 2011.

MDIC – Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Disponível em: <http://www.mdic.gov.br/>. Acesso em: 8 ago. 2018.

NOGUEIRA, F.T.P.; AGUIAR, D.R.D. Efeitos da desregulamentação na extensão e no grau de integração do mercado brasileiro de café. Revista de Economia, v. 37, n. 3, p. 21-46, 2011.

NOGUEIRA, V. Café cru com agregação de valor. Agroanalysis, v. 25, n. 12, p. 25-26, 2015.

OBRUCA, S.; BENESOVA, P.; KUCERA, D.; PETRIK, S.; MAROVA, I. Biotechnological conversion of spent coffee grounds into polyhydroxyalkanoates and carotenoids. New Biotechnology, v. 32, n. 6, p. 569-574, 2015.

PASSOS, M.; SANT'ANA, L.; BUENO, M. O Norte do Paraná: do café à cana do açúcar. Revista de Geografia e Ordenamento do Território, v. 1, n. 1, p. 181-206, 2012.

PEREIRA, V.F.; CAMPOS, A.C.; BRAGA, M.J.; MENDONÇA, T.G.A. A crise econômica mundial de 2007 a 2009 e o setor exportador de café no Brasil: análise das perdas. Revista de Economia e Agronegócio, v. 9, n. 2, p. 187-208, 2011.

PEROBELLI, F.S.; ALMEIDA, E.S.; ALVIM, M.I.S.A.; FERREIRA, P.G.C. Produtividade do setor agrícola brasileiro (1991-2003): uma análise espacial. Nova Economia, v. 17, n. 1, p. 65-91, 2007.

RIBEIRO, V.H.; JUNIOR, F.A.G.; PAIVA, R.G. Transformações da paisagem rural da microrregião de Paranavaí-PR e a expansão da cana-de-açúcar nos municípios de Tamboara e Itaúna do Sul de 1970-2012. Revista Percurso, v. 5, n. 1, p. 55-86, 2013.

ROBUSTI, E.A.; ZAPPAROLI, I.D.; SANTORO, P.H. Café arborizado no estado do Paraná, Brasil: indicadores financeiros e interferências ambientais, 2012-2014. Agroalimentaria, v. 23, n. 44, p. 79-91, 2017.

ROCHA, C.B.; PARRÉ, J.L. Estudo da distribuição espacial do setor agropecuário do Rio Grande do Sul. Revista Análise Econômica, v. 27, n. 52, p. 139-160, 2009.

SAES, M.S.M.; SPERS, E.E. Percepção do consumidor sobre os atributos de diferenciação no segmento rural: café no mercado interno. Organizações Rurais & Agroindustriais, v. 8, n. 3, p. 354-367, 2006.

SOUZA, V.C.O.; VIEIRA, T.G.C.; VOLPATO, M.M.L.; ALVES, H.M.R. Espacialização e dinâmica da cafeicultura mineira entre 1990 e 2008, utilizando técnicas de geoprocessamento. Coffee Science, v. 7, n. 2, p. 122-134, 2012.

VOIGT-GAIR, L.; MIGLIORANZA, E.; FONSECA, I.C.B. A dinâmica do concurso “Café Qualidade Paraná” na produção de cafés especiais. Semina: Ciências Agrárias, v. 34, n. 6, p. 3173-3180, 2013.

VOLSI, B.; TELLES, T. S.; CALDARELLI, C. E.; DA CAMARA, M. R. G. The dynamics of coffee production in Brazil. PloS one, v. 14, n. 7, 2019.

ZAMBOLIM, L.; VALE, F.X.R.; PEREIRA, A.A.; CHAVES, G.M. Café (Coffea arabica L.): controle de doenças - doenças causadas por fungos, bactérias e vírus. In: VALE, F.X.R.; Controle de doenças de plantas: grandes culturas. Viçosa: UFV, p. 83-139, 1997.

ZUANAZZI, J.A.S.; MAYORGA, P. Fitoprodutos e desenvolvimento econômico. Química Nova, v. 33, n. 6, p. 1421-1428, 2010.

Downloads

Publicado

18-01-2021

Como Citar

CASTRO, G. H. L. de; LEOCÁDIO, A. L. M.; RIBEIRO, M. R.; TELLES, T. S. ORGANIZAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA PRODUÇÃO DO CAFÉ NO PARANÁ Spatio-temporal coffee production organization in Paraná. Informe GEPEC, [S. l.], v. 25, p. 109–132, 2021. DOI: 10.48075/igepec.v25i0.26338. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/view/26338. Acesso em: 14 ago. 2022.