Jorge Amado Bio-Grafado: Narrativas Sobre 1941-1942

Autores

  • Marina Siqueira Drey Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5935/1981-4755.20220008

Palavras-chave:

Jorge Amado. Biografia. 1941-1942.

Resumo


Por motivações políticas, Jorge Amado se exilou em 1941 e 1942 na Argentina e no Uruguai. Objetivamente, o escritor foi elaborar uma biografia de Luiz Carlos Prestes em consonância à campanha que pedia por sua anistia. Contextualmente, não era favorável escrever no Brasil devido à perseguição aos envolvidos com o Partido Comunista (PC), como era o caso de Amado, preso algumas vezes ao longo dos 1930. Assim, o autor se exilou e só retornou após a publicação de Vida de Luiz Carlos Prestes, el Caballero de la Esperanza. Nessa viagem nada o acompanhou, nenhum papel que levou, recolheu ou produziu no período de afastamento. Posteriormente, Amado (2006) afirmou que os acontecimentos do período em que manteve relação com o PC seguiriam em segredo. Todavia, cerca de 70 anos após o episódio 41-42, esse material passa a objeto de pesquisa, pois é doado pela filha da militante que o guardou. Assim, uma outra via de acesso se abre a pesquisadores e leitores interessados na vida de Amado; mas, a partir dessa realidade, surgem algumas indagações: “O que foi dito e se sabe até então?”, “Quais afirmações trazem as narrativas biográficas sobre Jorge Amado?”, “Em quais pontos essa documentação pode corroborar ou desestabilizar os discursos canônicos concernentes à vida desse escritor em 1941-1942?”. São esses questionamento que promovem a investigação deste artigo, que se propôs a mapear, a descrever e a cotejar informações trazidas sobre Jorge Amado em onze obras do espaço biográfico (ARFUCH, 2010).

Biografia do Autor

Marina Siqueira Drey, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestra em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Bacharela e Licenciada em Letras- Língua Portuguesa pela mesma instituição. Atualmente é Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Literatura da UFSC e integrante do Núcleo Literatura e Memória (NULIME/UFSC).

http://lattes.cnpq.br/4059593420745384

https://orcid.org/0000-0002-6894-5567

Referências

AMADO, Jorge. IN: RAILLARD. Alice. Conversando com Jorge Amado. Trad. Annie Dymetman. Rio de Janeiro, Record. 1990.

AMADO, Jorge. Navegação de Cabotagem: apontamentos para um livro de memórias que jamais escreverei. Rio de Janeiro: Editora Record, 2006.

ARFUCH, Leonor. O espaço biográfico: dilemas da subjetividade contemporânea. Trad. Paloma Vidal. Rio de Janeiro: Editora da UERJ, 2010.

BASTIDE, Roger. Sobre o Romancista Jorge Amado. IN: MARTINS, José de Barros (org.). Jorge Amado Povo e terra: 40 anos de literatura. São Paulo, Martins, 1972.

CADERNOS DE LITERATURA BRASILEIRA: Jorge Amado. São Paulo: Instituto Moreira Salles, n. 3, 1997.

DERRIDA, Jacques. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Trad.Claudia de Moraes Rego. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

FUNDAÇÃO CASA DE JORGE AMADO. Disponível em: http://www.jorgeamado.org.br/?page_id=24 Acesso em: 25/10/2020.

GATTAI, Zélia. Ai, que saudades de Jorge! IN: GATTAI, Zélia (org.). Um baiano romântico e sensual: três relatos de amor. Rio de Janeiro: Record, 2002.

GOMES, Álvaro Cardoso (org.). Jorge Amado: Literatura Comentada. São Paulo: Abril, 1981.

MARTINS, José de Barros (org.). Jorge Amado: 30 anos de literatura. São Paulo, Martins, 1961.

MARTINS, José de Barros (org.). Jorge Amado Povo e terra: 40 anos de literatura. São Paulo, Martins, 1972.

PEREZ, Renard. Notícia Biográfica. IN: MARTINS, José de Barros (org.). Jorge Amado Povo e terra: 40 anos de literatura. São Paulo, Martins, 1972.

RAILLARD. Alice. Conversando com Jorge Amado. Trad. Annie Dymetman. Rio de Janeiro, Record. 1990.

RUBIM, Rosane. CARNEIRO, Maried (orgs.). Jorge Amado 80 anos de vida e obra: subsídios para pesquisa. Salvador: Casa das Palavras, 1992.

SANTOS, Itazil Benício dos. Jorge Amado: Retrato Incompleto. Rio de Janeiro: Record, 1993.

TÁTI. Miécio. Jorge Amado: Vida e Obra. Belo Horizonte: Itatiaia, 1961.

TAVARES, Paulo. O Baiano Jorge Amado e sua obra. Rio de Janeiro: Record, 1982.

Downloads

Publicado

13-01-2022

Como Citar

SIQUEIRA DREY, M. Jorge Amado Bio-Grafado: Narrativas Sobre 1941-1942. Línguas & Letras, [S. l.], v. 22, n. 53, 2022. DOI: 10.5935/1981-4755.20220008. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/article/view/26207. Acesso em: 1 jul. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Literatura e Política: Periferias e Fronteiras