Análise do sistema produtivo do feijoeiro macassar (Vigna unguiculata L. Walp) no município de Parari, Paraíba

Autores

  • José Thyago Aires Souza
  • Roberto Carlos Cavalcante Ferreira
  • Thiago Costa Ferreira
  • Kercio Estevam Da Silva
  • André Aires De Farias
  • Marcelo Pereira Cruz
  • Suenildo Jósemo Costa Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.18188/sap.v15i2.11386

Palavras-chave:

Leguminosa, produção, sustentabilidade.

Resumo


O feijão-caupi (Vigna unguiculata (L.) Walp.) deixou de ser uma cultura voltada só para agricultores familiares e atualmente é cultivado por médios e grandes produtores, nas regiões Norte e Nordeste, e também em países da África e Ásia, principalmente por suas características nutricionais. Objetivou-se fazer um diagnóstico produtivo da cultura do feijoeiro Macassar e conhecer algumas técnicas utilizadas pelos produtores de feijão do município de Parari, Paraíba. A pesquisa foi realizada em 2011, com aplicação de questionários junto aos 50 produtores. Constatou-se que a maioria dos agricultores, 45%, dispõe de uma área de 2 hectares para o cultivo do feijoeiro, sendo que 55% dos produtores adquirem suas sementes com os vizinhos de propriedade, enquanto 45% deles cultivam esta leguminosa em solos argilosos. Já 85% utilizam o feijoeiro em consórcio, sempre com a cultura do milho. De acordo com os dados obtidos, 90% dos produtores não fazem rotação de cultura, e 90% dos produtores armazenam seus grãos em silos de metal. Conclui-se que o feijoeiro é uma cultura de extrema importância para a economia e para sobrevivência da agricultura no município, necessitando, portanto, de novas tecnologias para aumento da produção e sustentabilidade do produtor.

Downloads

Publicado

05-07-2016

Como Citar

SOUZA, J. T. A.; FERREIRA, R. C. C.; FERREIRA, T. C.; DA SILVA, K. E.; DE FARIAS, A. A.; CRUZ, M. P.; OLIVEIRA, S. J. C. Análise do sistema produtivo do feijoeiro macassar (Vigna unguiculata L. Walp) no município de Parari, Paraíba. Scientia Agraria Paranaensis, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 153–157, 2016. DOI: 10.18188/sap.v15i2.11386. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/scientiaagraria/article/view/11386. Acesso em: 29 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos Científicos