Cultivares de mandioca sob dois sistemas de cultivo

Autores

  • Cristiano Alves Moreira Universidade Paranaense - UNIPAR
  • Geovane Alves Moreira Universidade Paranaense - UNIPAR
  • Rayane Monique Sete da Cruz Universidade Paranaense - UNIPAR
  • Odair Alberton Universidade Paranaense - UNIPAR

Resumo


As cultivares de mandioca apesar de adaptarem-se aos mais diferentes ecossistemas, apresentam alta interação do genótipo com o ambiente. O seu cultivo restringe-se em grande parte em um sistema de revolvimento solo, que altera as propriedades físicas, química e biológica do solo. Diante do exposto, objetivou-se avaliar cinco cultivares de mandioca em dois sistemas de plantio, direto sobre palhada de aveia preta (SPD) e convencional com revolvimento do solo (SPC). O experimento foi conduzido durante a safra de 2016/2017 em Tuneiras do Oeste (Paraná). O delineamento experimental utilizado foi blocos casualizados, em esquema fatorial 5 x 2 [5 cultivares de mandioca, sendo IPR União, IAC 15, IAC 90, Baianinha e Olho Junto (Caiua) x 2 sistemas de plantio (SPD e SPC)], contendo cinco parcelas e seis repetições. O plantio foi realizado em setembro de 2016 e conduzido por 8 meses até a colheita. Foram analisadas a altura e quantidade de folhas das plantas, tamanho, número, biomassa (produção) das raízes, podridão e teor de amido das raízes. O SPD aumentou o tamanho das raízes e quantidade de folhas e diminuiu a podridão de raízes. As variedades IPR União, Baianinha, IAC 90 e IAC 15 aumentaram a produção de raízes no SPD, no entanto, a variedade Olho Junto obteve maior produção no SPC. O teor de amido nas variedades IPR União e Olho Junto aumentaram no SPC. Conclui-se que o SPD, no geral, diminui a podridão de raízes e aumenta o crescimento de raízes e consequentemente a produção da mandioca.

Downloads

Publicado

20-04-2019

Como Citar

MOREIRA, C. A.; MOREIRA, G. A.; CRUZ, R. M. S. da; ALBERTON, O. Cultivares de mandioca sob dois sistemas de cultivo. Scientia Agraria Paranaensis, [S. l.], v. 18, n. 1, p. 65–70, 2019. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/scientiaagraria/article/view/20853. Acesso em: 5 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos Científicos