INTERDISCURSO E IDENTIDADE NO DISCURSO DE LETRA DE MODA DE VIOLA FERREIRINHA

Cristiane da Silva Ferreira

Resumo

Este artigo tem como objetivo estudar a interdiscursividade no discurso de letra de moda de viola, um estilo musical produzido pelo homem caipira. Desde o início, enfatizamos que, embora haja um interdependência entre letra e melodia, segundo Tatit (1996), vamos privilegiar o discurso da letra. Fundamentados pelo aporte teórico-metodológico da Análise do Discurso, mais especificamente o postulado enunciativo-discursivo de Maingueneau (2008), partimos do pressuposto de que o interdiscurso,  que  possui uma relação estreita com a memória discursiva, revela traços identitários  do enunciador. Como objeto de análise, selecionamos o discurso de letra intitulado Ferreirinha, considerado um clássico por ser um dos mais conhecidos e lembrados pela população. Produzido na década de 1950, esse discurso tem uma representatividade muito grande, sobretudo, nas regiões Centro-oeste e Sudeste do país, consideradas o berço da cultura do homem caipira. O resultado da análise aponta que o interdiscurso abarca discursos que compõem a memória discursiva do migrante rural, revelando a sua identidade discursiva.

Palavras-chave

interdiscurso; memória discursiva; moda de viola.

Texto completo:

PDF