A CONSTITUIÇÃO DO SUJEITO ESCRAVO NO JORNAL "DEZENOVE DE DEZEMBRO"

Anna Carolina Chierotti Ananias, Dayme Rosane Bençal, Greize Alves Silva Poreli

Resumo

Este artigo está fundamentado nos aportes da análise do discurso, de orientação francesa, que alia o aspecto linguístico ao sócio-histórico, entendendo, desta forma, que o discurso é o lugar das manifestações ideológicas (ORLANDI, 1984) e não pode estar dissociado de sua condição de produção, ou seja, de todo o seu entorno e constituinte: quem, quando, onde. Partindo de quatro anúncios sobre escravos fugidos e dois de animais desaparecidos, publicados no Jornal Dezenove de Dezembro, em circulação no Estado do Paraná, no século XIX, analisamos a posição da imprensa da época ao se referir ao escravo fugido. A apreciação dos vocábulos utilizados pelo enunciador nos revelou que havia o intuito de ressaltar a condição de “objeto” do negro escravo, limitando a sua identidade às suas características físicas, remetendo aos aspectos encontrados em anúncios de animais desaparecidos. Assim, constatamos, nestes anúncios analisados, que a formação do sujeito escravo na sociedade paranaense do século XIX é assujeitada, e não pode ser desvinculada das instâncias ideológicas e históricas.

Palavras-chave

Análise do discurso; Assujeitamento; Condição de produção

Texto completo:

PDF