CARNAVALIZAÇÃO DA SOCIEDADE ANGOLANA EM “A GERAÇÃO DA UTOPIA”

Jian Marcel Zimmermann

Resumo

Resumo

 

Esta pesquisa tem por objetivo avaliar as transformações ocorridas na sociedade angolana, a partir do romance A Geração da Utopia, do escritor Pepetela. Tal texto ficcionaliza um longo período histórico de Angola, desde os últimos anos do colonialismo até algum tempo após a independência do país e, neste sentido, apresenta as transformações sociais efetuadas em virtude do momento histórico/político. Para tal análise, nos valemos de importantes conceitos utilizados pelos estudos culturais, principalmente o de “Carnavalização”, cunhado por Bakhtin. Este processo é permeado por inversões e contágios, o nobre com o vulgar, alto e baixo, popular e erudito, tendo como principal condutor o diálogo, que produz as formas híbridas (também chamado de grotesco). A racionalização da maioria das transformações sociais contemporâneas é feita a partir de “Metáforas de Transformação” e, neste sentido, uma das mais úteis é a “Carnavalização” que, no caso da sociedade angolana representada por Pepetela, é melhor compreendida/avaliada a partir deste conceito bakhtiniano.

Palavras-chave

Literatura Angolana, Estudos Culturais, Romance.

Texto completo:

PDF