SOBRE SENTIDOS E SUJEITOS: A PROSPERIDADE NAS “METRÓPOLES DO FUTURO”

Alexandre Zanella

Resumo

Este trabalho tem o objetivo de analisar, ancorado no dispositivo teórico-metodológico da análise de discurso de linha francesa, os sentidos que (se) produzem (n)as fotografias que compõem o especial “Cidades médias”, publicado pela revista Veja em setembro de 2010. Essa reportagem visa, segundo o semanário, destacar quais são as cidades brasileiras consideradas “metrópoles do futuro”, por possibilitarem, dentre outros elementos, também a obtenção de prosperidade financeira. Se as fotografias na imprensa atuam como suportes da materialidade linguística, como representações de realidade, pretendo, neste artigo: debruçar sobre o efeito de evidência da fotografia; refletir sobre o atravessamento ideológico, que determina o que pode e deve ser dito e, por conseguinte, o que não se pode e não se deve dizer; analisar de que forma esse atravessamento perpassa a imagem e qual a sua representação no discurso jornalístico; e analisar quais os sentidos produzidos a partir das fotografias que montam o especial da revista Veja, também em sua relação com os sujeitos que ali se inscrevem. Para esta investigação, vali-me de contribuições de Barthes (1984) e de Dubois (1993) e em alguns conceitos caros à análise de discurso encontrados em Pêcheux (2009 [1988]) e Orlandi (2007 [1992]; 1995).

Palavras-chave

Análise de discurso; Efeitos de sentido; Revista Veja.

Texto completo:

PDF