PROFESSOR REFLEXIVO NA APROPRIAÇÃO DA ORALIDADE NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

Autores

  • Eduardo Dias da Silva

Palavras-chave:

Professor reflexivo, ensino-aprendizagem de língua, oralidade

Resumo


este é um artigo de metapesquisa qualitativa de modalidade documental interpretativista, situado no campo da Linguística Aplicada (LA), no qual se trabalham as caracterizações dos sujeitos (professores e aprendentes) envolvidos na apropriação da oralidade no ensino-aprendizagem de Língua Estrangeira (LE). Para desenvolvê-lo, consideram-se os textos teatrais, o corpo e a voz como mediadores da apropriação. Utilizam-se aqui os pressupostos de Ortiz-Alvarez (2009) e Basso (2008) – competência reflexiva – no que tange ao posicionamento do professor como profissional de línguas, reflexivo em sua prática, conjuntamente com a definição de Perrenoud (2000; 2008); Dewey (1959; [1916]2012; Freire (1975; 1976; 1984; 1996); Libâneo (2006) e de Schön (1992; 2000). Os professores metapesquisados neste artigo são Massaro (2001; 2007; 2008), da USP, e Reis (2008; 2011; 2012), da UnB; eles são (re)analisados de acordo com os paradigmas: professor reflexivo no exercício de suas práticas reflexivas. A busca pela conciliação entre o fazer apregoado pelas teorias e o que realmente acontece em sala de aula é notória nas reflexões dos professores que não só contemplam suas abordagens e técnicas, mas procuram mudar ou propor mudanças na percepção de mundo dos aprendentes, de outros professores de línguas e, por vezes, da instituição na qual exercem sua profissão. Faz-se uso do termo reflexividade para definir a proposta de agir-refletir-(re)agir como uma constante do profissional de línguas, que deve perdurar durante toda a sua vida profissional.Ao longo das leituras dos trabalhos dos professores metapesquisados, percebe-se que eles possuem um percurso reflexivo crítico (reflexividade) na concretude de suas práticas reflexivas. Em seus trabalhos demandam envolvimento emocional e cognitivo que, por sua vez, pressupõe atitudes pessoais singulares como mentalidade aberta, que revela a disposição em ouvir opiniões diferentes, desarmados de prejulgamentos ou resistências que impeçam ver uma determinada questão sob outro prisma.

Downloads

Publicado

09-02-2015

Como Citar

SILVA, E. D. da. PROFESSOR REFLEXIVO NA APROPRIAÇÃO DA ORALIDADE NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA. Línguas & Letras, [S. l.], v. 15, n. 31, 2015. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/article/view/10226. Acesso em: 26 maio. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO: ESTUDOS E REFLEXÕES SOBRE O ENSINO DE LÍNGUAS