Ficção e Realidade no Conto “Maria” de Conceição Evaristo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5935/1981-4755.20220007

Resumo


Resumo: desde o Brasil colonial a sociedade brasileira é historicamente marcada pelo preconceito racial, que consequentemente se reflete em diversas formas de violência, desde as simbólico-psicológicas até a violência física nas suas formas mais cruentas. Na contemporaneidade, as violências raciais, suas vítimas e algozes podem ser identificados em vários gêneros literários, denunciando em prosa e verso as mazelas sociais existentes no País. O ensaio analítico aqui produzido aborda a violência urbana, tendo como objeto de análise o conto Maria, da escritora afro-brasileira Conceição Evaristo, publicado em Olhos D´Água (2015). A análise centra-se na convergência existente entre ficção e realidade no conto em questão; escrito por uma mulher negra que vivenciou de perto e de dentro a realidade cotidiana das classes subalternizadas no País – condição mais dolorosa e traumática se o membro dessa classe for negro, ou negra, o que torna mais complexa a existência devido ao gênero e os estereótipos a ele relacionados. A produção de Conceição Evaristo é caracterizada pelo que ela denomina de escrevivência, ou, em outras palavras, a escrita das experiências de um corpo feminino negro na conjuntura do Brasil pós-colonial. A comparação entre a ficção e a realidade no conto Maria é realizada a partir de trabalhos acadêmicos das áreas de estudos literários, antropologia, história social, sociologia e ciência política. Os resultados alcançados permitem a interpretação de que o conto Maria reproduz, na fala e nas ações das personagens, os estereótipos brasileiros em relação à mulher negra no Brasil, transferindo para a literatura as mazelas sociais e humanas que fazem parte do cotidiano das mulheres negras em um país marcado por desigualdades abissais e por uma história de escravidão que, guardas as devidas proporções, ainda não teve fim.

Biografia do Autor

Souza Brites Brites, UEMS- Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Formada em Letra/ Espanhol na UEMS.

Mestranda na UEMS>

Referências

ALBUQUERQUE, Ana Luiza; BARBON, Júlia; NOGUEIRA, Ítalo. Paulo. Veja tudo o que se sabe sobre o assassinato de Marielle, dois anos depois. UOL/Folha de São. Disponível: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2020/03/veja-tudo-o-que-se-sabe-sobre-a-morte-de-marielle-dois-anos-depois.shtml Acesso em: 25 ago. 2020.

BIRMAN, Patrícia. Favela é comunidade? In: Machado da Silva, L.A. (org.) Vida sob cerco: violência e rotina nas favelas do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, FAPERJ/Nova Fronteira, 2008, p. 99-114.

BORIN, Ivan. Análise dos processos penais de furto e roubo na comarca de São Paulo. 2006. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) – Universidade de São Paulo/USP, São Paulo, 2006.

BRASIL DE FATO. Mãe, negra e lésbica: assassinato de Luana Barbosa permanece impune após três anos. REDAÇÃO. Brasil de Fato. São Paulo (SP) |

de Abril de 2019 às 13:49. Disponível em: https://www.brasildefato.com.br/2019/04/13/mae-negra-e-periferica-assassinato-de-luana-barbosa-permanece-impune-apos-tres-anos/ Acesso em: 27 ago. 2020.

BUENO, Fernanda. A mulher negra na telenovela: hipersexualização, invisibilidade ou subalternidade? Trabalho de Conclusão de Curso (Comunicação Social) – Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2016. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/43446/fernanda_revisado_tcc.pdf?sequence=1 Acesos em: 25 jul. 2020.

CUNHA, Olívia Maria Gomes da Cunha; GOMES, Flávio dos Santos (Orgs). Quase-cidadão: histórias e antropologias da pós-emancipação no Brasil. FGV, São Paulo: 2007.

EVARISTO, Conceição. Olhos d’água. 1. ed. Rio de Janeiro: Pallas: Fundação Biblioteca Nacional, 2016.

EVARISTO, Conceição. Literatura negra: uma poética de nossa afro-brasilidade. Scripta, Belo Horizonte, v. 13, n. 25, p. 17-31, 2º sem. 2009. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/4365 Acesso em: 24 ago. 2020.

FARIAS, Juliana. Quando a exceção vira regra: os favelados como população matável e sua luta por sobrevivência. Teoria & Sociedade, v. 15, n. 2, p.138-171, 2008.

Downloads

Publicado

13-01-2022

Como Citar

BRITES, S. B. Ficção e Realidade no Conto “Maria” de Conceição Evaristo. Línguas & Letras, [S. l.], v. 22, n. 53, 2022. DOI: 10.5935/1981-4755.20220007. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/article/view/26044. Acesso em: 14 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Literatura e Política: Periferias e Fronteiras