Antropofagia Oswaldiana: Fatura e Fratura na Crítica Literária Brasileira Contemporânea

Autores

  • Wallisson Rodrigo Leites Universidade Estadual do Oeste do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5935/1981-4755.20220002

Resumo


O pensamento antropofágico oswaldiano é fruto de um processo de escrita crítica e artística responsável por reelaborar o modo de ver e pensar a cultura brasileira. Esse processo se desenvolveu a partir da reelaboração e da revisão autofágica que Oswald fez dos próprios escritos, ainda assim, apesar de manter uma escrita ativa até os últimos anos de sua vida, a formulação sobre uma teoria antropofágica nunca foi publicada pelo autor. Foi a crítica posterior que, se valendo da escritura do autor, promoveu as formulações teóricas que viriam a retratar não somente a produção artística brasileira, mas todo um sistema cultural baseado na mobilidade e na transformação, ou melhor, na antropofagia cultural. Neste ensaio, nos propomos refletir sobre a prática intelectual crítica produzida no Brasil, motivada pelo pensamento antropofágico oswaldiano, cujo potencial dialógico e dialético tem sido recorrente na crítica literária e cultural em perspectiva decolonial.

Downloads

Publicado

13-01-2022

Como Citar

RODRIGO LEITES, W. . Antropofagia Oswaldiana: Fatura e Fratura na Crítica Literária Brasileira Contemporânea. Línguas & Letras, [S. l.], v. 22, n. 53, 2022. DOI: 10.5935/1981-4755.20220002. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/article/view/28677. Acesso em: 24 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Literatura e Política: Periferias e Fronteiras