O Mundo Multipolar e a Integração Sul-Americana

Samuel Pinheiro Guimarães

Resumo


Neste início de século a integração regional e sul-americana volta a ser um dos desafios
para as novas gerações. Os países da América do Sul apresentam características históricas semelhantes,
seja em termos das desigualdades sociais e das assimetrias inter e intra-nações. Durante o período
em que houve o predomínio de governos neoliberais, muitos países da região adotaram políticas desindustrializantes e de desnacionalização que acentuaram ainda mais as desigualdades sócioeconômicas. Todavia, as experiências históricas de integração já realizadas durante o século XX (ALALC, Pacto Andino e MCCA) e as reflexões teóricas e históricas sobre o desenvolvimento contribuem para tornar as diferenças em fatores positivos para uma integração sul-americana orientada pela complementaridade dos fatores produtivos, populacionais e das políticas de Estado. O papel estratégico que o Brasil e a Argentina têm para uma integração sub-regional e sul-americana é essencial para o futuro do Mercosul e da UNASUL, que aponte caminhos distintos aos da NAFTA e da ALCA. Novamente os investimentos em transporte, energia e a criação de um sistema de crédito regional são fundamentais para a superação das assimetrias e do baixo nível de intercâmbio.

Palavras-chave


Relação Brasil-Argentina. Integração. Mercosul. América do Sul.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais