CARTAS DEL FIN DEL MUNDO E EL FUERTE NAVIDAD: UMA VISÃO SOBRE A IMPORTÂNCIA DA ALTERIDADE

Gilmei Francisco Fleck, Bernardo Antonio Gasparotto

Resumo


O presente texto centra-se numa análise das obras El Fuerte navidad (2002), de José Luis
Muñoz, e Cartas del fin del Mundo (1998), de Jose Manoel Fajardo. Nosso principal objetivo é observar
as relações desenvolvidas pelos narradores dos romances ao justapor, nas diegeses destas obras, os
paradigmas do discurso historiográfico e as convenções que regem o discurso narrativo ficcional,
observando as estratégias empregadas para tornar possíveis as confluências da história e da ficção
nas leituras do passado efetuadas por esses romancistas espanhóis. O estudo primará por uma
perspectiva que se volte também para os aspectos relevantes da cultura eurocêntrica, com ênfase na
questão da utilização da língua espanhola enquanto instrumento de manutenção do poder e
perpetuamento de uma ideologia quando do encontro com os povos autóctones das terras americanas,
levando-se em consideração que o idioma é apenas uma das muitas manifestações da cultura de um
povo. Ao se enfocar tais aspectos possibilita-se uma espécie de leitura que priorize o fato de que se
veja no “outro” – nativo da terra encontrada – um espelho; algo que até antes destas obras não era
comum na literatura espanhola voltada aos episódios do descobrimento da América. Com isso
possibilita-se ao leitor refletir sobre semelhanças e diferenças entre as culturas dos povos que se
enfrentaram em 1492, ocasionando, como resultado do processo, uma maior identificação tanto de
sua própria história como da história do “outro”. Esta alteridade que, conforme registra Todorov
(1983), nem sempre esteve presente nos contatos entre os povos colonizadores europeus – origem
das línguas estrangeiras que hoje ensinamos e aprendemos - e os povos colonizados na América. Tal
perspectiva de busca de uma alteridade pela leitura crítica do passado efetivada pela ficção parecenos
essencial para o desenvolvimento integral de qualquer leitor consciente e crítico.

Palavras-chave


El Fuerte Navidad (2002), Cartas del Fin del Mundo (1998), alteridade, mestiçagem.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais