OCTAVIO DOMINGUES: CONCEPÇÕES SOBRE MISCIGENAÇÃO NO CONTEXTO EUGÊNICO

Waldir Stefano

Resumo


A partir do início do século XX a ideia de eugenia, como sendo a ciência do melhoramento da hereditariedade humana se desenvolveu em diversas partes do mundo. No Brasil, um dos personagens de destaque na área foi Octavio Domingues. Ele acreditava que através da divulgação dos princípios da hereditariedade e das recomendações eugênicas que deveriam estar presentes no processo de educação seria possível formar uma “consciência eugênica” no país. A mistura entre as raças foi uma questão bastante discutida no Brasil principalmente nas décadas de 1920 e 1930, não apenas no âmbito científico, mas também entre os políticos e representantes de outros segmentos da sociedade. Enquanto alguns consideravam que a mestiçagem favorecia a formação do povo, outros pensavam que essa mistura traria como resultado a degeneração da raça. Para Octavio Domingues, a miscigenação de raças humanas seria benéfica. Por outro lado, Domingues era contrário aos casamentos consanguíneos fundamentando-se na genética mendeliana cromossômica da época.

Palavras-chave


Octavio Domingues; Eugenia; consanguinidade.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais