A ARTE E A CONSTRUÇÃO DO IMAGINÁRIO COLETIVO: O NORDESTE NO PRODUTO ARTÍSTICO

Autores

  • Wechila Andrade Brito
  • Antenor Rita Gomes

DOI:

https://doi.org/10.17648/educare.v12i24.16256

Palavras-chave:

Nordeste, Construção Imagética, Poder.

Resumo


O artigo busca discutir as concepções de Nordeste por meio da produção artística enquanto mantenedora de uma construção imagética proposta nas representações visuais, entendendo que esse advento ocorre mesmo em trabalhos como a música que não se constitui em formato visual concreto, mas simbolicamente e subjetivamente, podendo, nos remeter a narrativas que corroboram na construção de determinadas concepções e na difusão de discursos manifestos, como dispositivos de poder. Assim, o trabalho irá discorrer sobre o imaginário de Nordeste a partir da análise da obra musical de Luiz Gonzaga, atentando para o caráter formativo e da abordagem pedagógica do tema. Para tanto, utilizará como referencial teórico basilar, os autores Albuquerque Jr. (2011), Ortiz (1998), Hall (2006), Foucault (1996), Bourdieu (1989) e Hèrnandez (2007).

Downloads

Publicado

19-03-2017

Como Citar

BRITO, W. A.; GOMES, A. R. A ARTE E A CONSTRUÇÃO DO IMAGINÁRIO COLETIVO: O NORDESTE NO PRODUTO ARTÍSTICO. Educere et Educare, [S. l.], v. 12, n. 24, 2017. DOI: 10.17648/educare.v12i24.16256. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/educereeteducare/article/view/16256. Acesso em: 1 jul. 2022.