Réplicas Dialógicas em Aula de Leitura: O Trabalho com Perguntas e Resposta Argumentativa no Ensino Fundamental

Autores

Palavras-chave:

Réplica. Leitura. Resposta Argumentativa.

Resumo


Este artigo busca analisar em que aspectos a abordagem teórico-metodológica de ordenação e sequenciação de perguntas de leitura para o gênero discursivo Crônica, no Ensino Fundamental, contribui para o desenvolvimento da compreensão leitora dos alunos, refletido nas Respostas Argumentativas/réplicas discursivas produzidas por eles. A partir dos conceitos relacionados ao dialogismo do Círculo de Bakhtin e de estudos sobre leitura e escrita, segundo a Linguística Aplicada, buscou-se elaborar proposta de trabalho com perguntas de leitura, para o 9º ano do Ensino, e acompanhar o desenvolvimento dos alunos nos processos de leitura da Crônica e de escrita das Respostas Argumentativas. Para a coleta dos dados, foram elaborados materiais de leitura, segundo os princípios da ordenação e sequenciação de leitura, realizando intervenções junto aos alunos, proporcionando-lhes a produção de Respostas Argumentativas. Os resultados demonstram que as perguntas, na configuração da ordenação e sequenciação, possibilitam que os alunos-leitores-escritores construam a Resposta Argumentativa com informações textuais, inferenciais e interpretativas, levando-os ao desenvolvimento da contrapalavra, por meio da articulação entre as palavras alheias do texto, as inferências e interpretações dos alunos.

Biografia do Autor

Maria das Graças Alves dos Santos, Universidade Federal do Tocantins

Mestra em Letras, pela Universidade Federal do Tocantins –UFT, Porto Nacional. Professora do Ensino Fundamental II, na rede municipal de Palmas-TO, Secretaria Municipal de Educação (SEMED).

Ângela Francine Fuza, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Professora adjunta da Universidade Federal do Tocantins (UFT), docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGLetras/Porto Nacional) e do Programa de Pós-Graduação em Letras: Ensino de Língua e Literatura (PPGL/Araguaína).  Doutora em Linguística Aplicada, pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Pós-doutora em Letras, pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), e pós-doutoranda em Linguística, pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC/Capes). Coordena o projeto de pesquisa: "A escrita em contextos de ensino e de aprendizagem" (UFT), e o Grupo de pesquisa: "Práticas de Linguagens" (UFT/CNPq). Possui publicações sobre as práticas de leitura, escrita e análise linguística em situação de ensino, o trabalho com os gêneros discursivos e a formação do professor, no âmbito da Linguística Aplicada.

Referências

ANDRÉ, M. E. D. A. de. Estudo de caso em pesquisa e avaliação educacional. Brasília: Liberlivros, 2005.

ANGELO, C. M. P.; MENEGASSI, R. J. A produção escrita e o trabalho docente na sala de apoio. Alfa, São Paulo, v. 60, n. 3, p. 475-506, 2016.

ANGELO, C. P.; MENEGASSI, R.J. Perguntas de leitura na prática docente em sala de apoio. RBLA, Belo Horizonte, v. 14, n. 3, p. 661-688, 2014.

BAKHTIN, M. Freudismo: um esboço crítico. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Perspectiva, 2. ed. 2017a.

BAKHTIN, B. Para uma filosofia do ato responsável. Tradução de Valdemir Miotello e Carlos Alberto Faraco. São Carlos: Pedro & João Editores, 2017b.

BAKHTIN, M. A personagem e seu enfoque pelo autor na obra de Dostoiévski. In: BAKHTIN, M. Problemas da poética de Dostoiévski. Tradução de Paulo Bezerra. 5. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2015, p. 52-86.

BAKHTIN, M. [VOLOCHINOV, V. N.]. Marxismo e filosofia da linguagem. 16ª. ed. São Paulo: Hucitec, 2006 [1929].

BAKHTIN, M. M. Os gêneros do discurso. In: Estética da criação verbal. Tradução do russo por Paulo Bezerra. 4.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003[1979], p. 262-306.

BAKHTIN, M. O discurso no romance. In: BAKHTIN, M. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. Tradução de Aurora Fornoni Bernardini et al. São Paulo: Ed. da UNESP, 1988b. p. 71-210.

BARROSO, F. C. S. Ordenação e sequenciação de perguntas de leitura para o gênero poema no Ensino Médio. 2018. 214 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal do Tocantins, Porto Nacional, TO, 2018.

BRASIL, SEF. Parâmetros Curriculares da Educação Nacional – Língua Portuguesa. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília, DF: MEC, 1998.

FIAD, R. S; MAYRINK-SABINSON, M. L. T. A escrita como trabalho. In: MARTINS, M. A. (org.) Questões de Linguagem. São Paulo: Contexto, 1994, p. 54-63.

FIORIN, J. L.Linguagem e ideologia. São Paulo: Ática. 2016.

FRANCO, N. ACOSTA PEREIRA, R.; COSTA-HÜBES, TC. Por uma análise dialógica do discurso. In: GARCIA, D. A.; SOARES, A. S. F. De 1969 a 20019: um percurso da/na análise de discurso. Campinas, SP: Pontes Editores, 2019.

GERALDI, J. W. A leitura de textos. In: GERALDI, J. W. Portos de passagem.São Paulo: Martins Fontes, 1997, p. 165-169.

GARCIA, O. M. Comunicação em prosa moderna. 15. ed. Rio de Janeiro, Fundação Getulio Vargas, 1992.

MENEGASSI, R. J. Ordenação e sequenciação de perguntas na aula de leitura. In: YAEGASHI, S. F. R. et al. (Orgs.). Psicopedagogia: reflexões sobre práticas educacionais em espaços escolares e não-escolares. Curitiba: CRV, 2016a, p. 41-60.

MENEGASSI, R. J. A escrita como trabalho na sala de aula. In: C.M. JORDÃO (org.), Linguística Aplicada no Brasil: rumos e passagens. Campinas, Pontes Editores, 2016b, p. 193-230.

MENEGASSI, R. J. Perguntas de leitura. In: MENEGASSI, R. J. (Org.). Leitura e ensino. Maringá, Eduem, 2. ed. Maringá: Eduem, 2010a.

MENEGASSI, R. J. O leitor e o processo de leitura. In: GRECO, E. A.; GUIMARÃES, T. B. (Org.). Leitura: aspectos teóricos e práticos. Maringá: Eduem, 2010b. p.35-59.

MENEGASSI, R. J. Produção, ordenação e sequenciação de perguntas na avaliação de leitura. In: CENTURION, R.; CRUZ, M.; BATISTA, I. M. (Orgs.). Linguagem e(m) interação - línguas, literaturas e educação. Cáceres-MT: Ed. Unemat, 2011. p. 17-35.

MENEZES, E. T. de; SANTOS, T. H. dos. Verbete avaliação diagnóstica. Dicionário Interativo da Educação Brasileira - Educabrasil. São Paulo: Midiamix, 2001. Disponível em: <http://www.educabrasil.com.br/en/avaliacao-diagnostica/>. Acesso em: 09 de nov. 2018.

ROJO, R. Letramento e capacidades de leitura para a cidadania. São Paulo: SEE: CENP, 2004. Texto apresentado em Congresso realizado em maio de 2004. Disponível em:file:///D:/Usu%C3%A1rio/User/Downloads/Letramento_e_capacidade_de_leitura_pra_cidadania_2004.pdf. Acesso em: 10 out. 2019.

ROJO, R. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

SERCUNDES, M. M. I. Ensinando a escrever: as práticas em sala de aula. In: GERALDI, J. W. CITELLI, B. (Coord.). Aprender a ensinar com textos de alunos. São Paulo: Cortez, 1997, p. 75-97.

SOLÉ, I. Estratégias de leitura. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Downloads

Publicado

19-06-2020

Como Citar

SANTOS, M. das G. A. dos; FUZA, Ângela F. Réplicas Dialógicas em Aula de Leitura: O Trabalho com Perguntas e Resposta Argumentativa no Ensino Fundamental. Línguas &amp; Letras, [S. l.], v. 21, n. 49, p. 4755.20200002, 2020. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/article/view/24309. Acesso em: 2 dez. 2021.

Edição

Seção

DOSSIÊ: ESTUDOS DIALÓGICOS E INCURSÕES NA PRÁTICA DOCENTE