Sobre Teatro e outros babados: considerações sobre a prática artístico-docente político-libertária

Autores

  • Caio César Silva Rocha Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB
  • Aroldo Santos Fernandes Junior Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB

Palavras-chave:

Pedagogia do Teatro. Prática Artístico-Docente. Docência em Teatro.

Resumo


Este artigo – capítulo primeiro do trabalho monográfico intitulado “Teatro não é bagunça, meu bem: por uma prática docente político-libertária - tem por objetivo reverberar, a partir de reflexões propiciadas pelos autores Gilberto Icle (2007, 2010, 2011), Jorge Larrosa (2002, 2011), Augusto Boal (2012), Beatriz Cabral (2006), Helena Katz e Christine Greiner (2005), Michel Foucault (1987), Antônio Nóvoa (2009), Ingrid Koudela e Arão Paranaguá de Santana (2005) acerca da importância do ensino de Teatro na Educação Básica, assim como refletir sobre como a prática artístico-docente político-libertária em teatro contribui, de forma significativa, no processo de desconstrução e edificação de conceitos e saberes necessários para a instrução e formação crítico-política dos sujeitos, saberes esses que vão além dos conteúdos programáticos aplicados em sala de aula e que coadunam para um melhor entendimento e/ou leitura de mundo. Além disso, o texto também debate sobre a importância da mencionada prática docente como um poderoso caminho de resistência política frente aos nocivos projetos como o Escola Sem Partido (2015) e a já aprovada Lei n° 13.415/2017 que trata sobre a Reforma do Ensino Médio, que têm por intento principal desmantelar a educação brasileira, com o claro objetivo de transformar os estudantes em seres apolíticos e acríticos.

Biografia do Autor

Caio César Silva Rocha, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB

Graduado em Licenciatura em Teatro pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Campus Jequié. Membro do grupo de pesquisa Gap-Motus, coordenado pelo professor Me. Aroldo Santos Fernandes Junior. 

Aroldo Santos Fernandes Junior, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB

Graduado em Licenciatura em Dança pela Universidade Federal da Bahia - UFBA. Mestre em Artes Cênicas pela mesma instituição. Professor dos cursos de Licenciatura em Dança e Licenciatura em Teatro pela UESB/Campus Jequié. Coordenador do grupo de pesquisa Gap-Motus.

Referências

BOAL, Augusto. Jogos para atores e não-atores. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

BOFF, Leonardo. A águia e a galinha: uma metáfora da condição humana. São Paulo: Vozes, 1997.

BRASIL. Projeto de Lei N° 867/2015. Projeto Escola Sem Partido. 2015. Disponível em: <http://www.camara.gov.br/sileg/integras/1317168.pdf>. Acesso em: 03 mar. 2016.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Segunda Versão Revisada. 2016. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/ documentos/bncc-2versao.revista.pdf>. Acesso em: 05 ago. 2016.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases (LDB) n°13.278/2016. 2016. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/CCIVIL 03/_Ato2015-2018/2016/Lei/L13278.htm>. Acesso em: 03 mai. 2016.

BRASIL. Lei Ordinária n° 13.415/2017. Medida Provisória 746. 2017. Disponível em: <http://legis.senado.leg.br/legislacao/ListaTextoIntegral.action?id=251273 &norma=270661>. Acesso em: 17 fev. 2017.

CABRAL, Beatriz Ângela Vieira. Drama como método de ensino. São Paulo: Hucitec: Edições Mandacaru, 2006.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1987.

ICLE, Gilberto. Pedagogia teatral como cuidado de si: problematizações na companhia de Foucault e Stanislavski. Reunião Anual da ANPED (30: 2007: Caxambu) ANPEd: 30 anos de pesquisa e compromisso social: Anais. Caxambu: ANPED, 2007. 1 CD-ROM, 2007.

ICLE, Gilberto. Da pedagogia do ator à pedagogia do teatro: verdade, urgência, movimento. Revista O Percevejo online. v. 1, n. 2, 2010. Disponível em: <http://www.seer.unirio.br/index.php/opercevejoonline/article/view/525/462>. Acesso em: 15 mai. 2016.

ICLE, Gilberto. Problemas teatrais na educação escolarizada: existem conteúdos em teatro? Urdimento-Revista de Estudos em Artes Cênicas, v. 2, n. 17, p. 70-77, 2011. Disponível em: <http://www.revistas.udesc.br/index.php /urdimento/article/viewFile/3356/2419>. Acesso em: 05 mai. 2016

KATZ, Helena & GREINER, Christine. Por uma teoria do corpomídia. In: GREINER, Christine (Org.). O corpo: pista para os estudos insdisciplinares. São Paulo: Annablume. 2005.

KEISERMAN, Nara. O artista-docente: considerações esparsas. In: CAMPOS, Vilma; MERÍSIO, Paulo (Orgs.). Teatro: ensino, teoria e prática. Uberlândia: EDUFU, 2011.

KOUDELA, Ingrid Dormien. Brecht: um jogo de aprendizagem. 2° ed. São Paulo: Perspectiva, 2010.

KOUDELA, Ingrid Dormien; SANTANA, Arão Paranaguá de. Abordagens metodológicas do teatro na educação. Ciências Humanas em Revista, v. 3, n. 2, p. 145-154, 2005. Disponível em: http://www.academia.edu/download/11023510 /ingrid_koudela_v3_n2.pdf. Acesso em: 25 de julho de 2015.

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. In: Revista Brasileira de Educação. n. 19. São Paulo, p. 20-28, jan/fev/mar/abr, 2002. Disponível em: < http://www.redalyc.org/pdf/275/27501903.pdf>. Acesso em: 19 mar. 2016.

LARROSA, Jorge. Experiência e alteridade em educação. In: Revista reflexão e ação, Santa Cruz do Sul, v. 19, n. 2, p. 04-27, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://ltc-ead.nutes.ufrj.br/constructore/objetos/Jorge%20Larrosa.pdf>. Acesso em: 05 mar. 2016.

MARQUES, Isabel. Ensino da dança hoje: textos e contextos. São Paulo: Cortez, 1999.

NÓVOA, António. Para uma formação de professores construída dentro da profissão. 2009. Disponível em: <http://www.revistaeducacion .mec.es/re350/ re350_09por.pdf>. Acesso em: 15 fev. 2015.

PILLOTTO, Silvia Sell Duarte; VOIGT, Jane Mery Richter. Políticas de avaliação na educação básica e seus desdobramentos na disciplina de Arte. Práxis Educativa, v. 11, n. 3, p. 757-774, 2016. Disponível em: <http://177.101.17.124/index.php/praxiseducativa/article/viewFile/8118/5234>. Acesso em: 25 jan. 2017.

RAMOS, Moacyr Salles & STAMPA, Inês. Subversão e resistência: notas sobre a ditadura militar e o Programa Escola Sem Partido. Revista Espaço do Currículo, v. 9, n. 2, 2016. Disponível em: <http://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/rec/article/view/29830>. Acesso em: 23 dez. 2016.

SCHON, Donald. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, Antônio (Org.) Os professores a sua formação. Dom Quixote, Lisboa, 1992.

Downloads

Publicado

28-12-2017

Como Citar

SILVA ROCHA, C. C.; SANTOS FERNANDES JUNIOR, A. Sobre Teatro e outros babados: considerações sobre a prática artístico-docente político-libertária. Temas &amp; Matizes, [S. l.], v. 11, n. 21, p. 24–38, 2017. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temasematizes/article/view/18198. Acesso em: 22 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Rumos da Educação Brasileira: A formação de professores em Discussão