POSTURA ÚNICA NA EDUCAÇÃO: O VELHO DISCURSO DO PROFESSORADO

Autores

Palavras-chave:

Educação, Ética, Postura única, Profissão docente.

Resumo


O presente escrito pretende discutir a ética a partir do seu conceito filosófico e aplica-la à suposta assertiva da “postura única”, termo que nos parece bastante comum nos espaços escolares entre os professores. Dessa forma, por meio de uma pesquisa bibliográfica pretendemos constatar que no campo das profissões, muitas são instituídas a partir de um determinado código de ética. Diferentemente da educação que, em seus preceitos, sucumbe tal significado quando o docente adentra à sala de aula, pois, a partir daí, assiste-se a uma ação individual e de mera “sobrevivência” na medida em que importa apenas concluir mais um dia de trabalho. Este, individual e individualizado, se perde por completo. Sendo assim, aventamos a hipótese da necessidade da adoção de uma conduta pautada nos preceitos da ética, a qual, verdadeiramente introjetada e praticada, acarretaria num resultado e ações coletivas, apontando para um horizonte exitoso, onde a educação pudesse deixar de ser mera formalidade e passasse a ser uma profissão onde todos, de fato, pudessem “falar a mesma língua”.

Biografia do Autor

Reginaldo Peixoto, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Formado em Pedagogia, Letras e Arte e Educação, Especialista em Educação Pública, Mestre em Educação e Doutor em Educação, Arte e História da Cultura. Professor do Curso de Pedagogia e Mestrado em Educação na UEMS, Unidade de Paranaíba.

José Renato Sessino Toledo Barbosa, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS, Unidade de Paranaíba.

Formado em Filosofia, Mestrando em Educação na UEMS - Unidade de Paranaíba, Professor da rede estadual de educação básica do Estado de São Paulo, Professor no Centro Universitário de Jales

Referências

ALVARES, Lilian. Caracterização de projeto. Faculdade de Ciências da Informação. Universidade de Brasília. Disponível em: http://lillianalvares.fci.unb.br/phocadownload/Projeto/Caracterizacao/Aula1Caracterizacao.pdf. Acesso em 13 maio 2020.

ANDRADE, Carlos Drummond. José. São Paulo: Cia. Das Letras. 2012.

AQUINO, Julio Groppa. A indisciplina e a escola atual. Rev. Fac. Educ., São Paulo, v. 24, n.2, 1998. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-25551998000200011. Acesso em 16 maio 2020.

ARSITÓTELES. Obras Escolhidas. Ética a Nicômaco. Volume 2 Seleção de textos: José Américo Motta Pessanha. Tradução: Leonel Vallandro, Gerd Bornheim, Vincenzo Cocco, Joaquim de Carvalho e Eudoro de Souza. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

BORGES, Erivan; MEDEIROS, Carlos. Comprometimento e ética profissional: um estudo de suas relações juntos aos contabilistas. Ver. Cont. Fin. USP, São Paulo, n. 44, p. 60 – 71. maio/agosto 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rcf/v18n44/a06v1844.pdf. Acesso em 12 maio 2020.

CANESIN, Maria Tereza. A fertilidade da produção sociológica de Bourdieu para ciências sociais e educação. In: ROSA, Dalva Gonçalves; SOUZA, Vanilton Camilo (org.). Didáticas e práticas de ensino: interfaces com diferentes saberes e lugares formativos. XI Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino (ENDIPE). Goiânia: DP & A, 2002, p. 85-101.

CORTELLA, Mario Sergio. A escola e o conhecimento: reflexões sobre fundamentos epistemológicos e políticos dessa relação. Tese de Doutorado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 1997. Orientado: Paulo Reglus Neves Freire. Disponível em: http://acervo.paulofreire.org:80/xmlui/handle/7891/2548. Acesso em 20 fevereiro 2020.

______. A Escola e o Conhecimento. Fundamentos Epistemológicos e Políticos. São Paulo: Cortez Editora, 2009.

______ . Oportunidade ao êxito: mudar é complicado? Acomodar é perecer. Palestra proferida na UNICSUL, Santa Fé do Sul SP, 10/08/2013.

FLOR, Cristhiane Carneiro Cunha. CARNEIRO, Reginaldo Fernando. O tornar-se professor de sujeitos que ensinam ciências e matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental. XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – XI ENPEC. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC – 3 a 6 de julho de 2017.

FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

GATTI, Bernadete Angelina. Formação de professores, complexidade e trabalho docente. Rev. Diálogo Educ. v. 17, n. 53, p. 721-737, Curitiba, 2017.

______. Prática pedagógica como núcleo do processo de formação de professores. In: GATTI, Bernadete Angelina et al (Org.). Por uma política nacional de formação de professores. São Paulo: Unesp, 2013. p. 95-108.

CONSTANTIN JUNIOR, José Carlos. Professores iniciantes do Estado de São Paulo: a proposta de formação de ingressantes da SEE/SP. 2017 161 f. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar) — Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", Faculdade de Ciências e Letras (Campus Araraquara) Orientador: Prof.ª Dra. Maristela Angotti.

HEIDEGGER, Martin. Obras escolhidas. Tradução: Ernildo Stein, São Paulo, Abril Cultural, 1979.

HOBBES, Thomas. Obras Escolhidas. Tradução João Paulo Monteiro e Maria Beatriz Nizza da Silva. Abril Cultural. 1979.

HUSSERL, Edmund. Investigações lógicas. Tradução: Zeljko Loparic. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

KAFKA, Franz. A metamorfose. Tradução: Pietro Nasseti. Edição de bolso. São Paulo: Martin Claret, 2004

LISPECTOR, Clarice. A paixão segundo G.H. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

KIERKGAARD, Soren Abye. O conceito de angústia. Tradução Carlos Grifo. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

LA TAILLE, Yves. Moral e Ética – Dimensões intelectuais e Afetivas. Porto Alegre: Artmed. 2010.

NIETZSCHE, Friedrich. Así habló Zaratustra. Tradução Andrés Sánchez Pascual. Madrid: Alianza Editorial, 1981.

____________________. Assim falava Zaratustra. Tradução de Rubens Rodrigues Torres Filho. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

NÓVOA, Antonio. Para o estudo sócio histórico da gênese e desenvolvimento da profissão docente. Teoria e Educação, Vol.4. p.109-157, Porto, 1991.

________________. Os professores na virada do milênio: do excesso dos discursos à pobreza das práticas. Correspondência para a Faculdade de Psicologia e Ciência da Educação da Universidade de Lisboa. Educação e Pesquisa, vol. 25, n. 1, p. 11-20.jan/jun. de 1999, São Paulo.

_____________. Profissão professor: O passado e o presente dos professores”. Porto: Porto Editora, 1991.

_____________. Formação de Professores e Trabalho Pedagógico. Lisboa: EDUCA, 2002.

NÓVOA, António; SCHRIEWER, Jürgen. A difusão mundial da escola: alunos, professores, currículo, pedagogia. Lisboa: Educa, 200

RIOS, Terezinha Azerêdo. Ética e Competência. São Paulo: Cortez, 2001.

SANTIN, Silvino. A ética e as profissões - Uma reflexão filosofante. Texto apresentado no Congresso da FIEP/2012. Disponível em: http://labomidia.ufsc.br/Santin/Filosofia/6.A_ETICA_E_AS_PROFISSOES-Uma_reflexao_filosofante.pdf. Acesso em 12 maio 2020.

SARTRE, Jean-Paul. O Existencialismo é um humanismo. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

SCHOPENHAUER, Arthur. O Mundo como vontade e representação., Tradução Wolfgang Leo Maar. São Paulo: Abril Cultural, 1980.

SILVA, Franklin Leopoldo e. Definição de Ética. São Paulo: Editora Odysseus, 2006.

SILVA, Mônica Ribeiro da. Teoria curricular e teoria crítica da sociedade: elementos para (re)pensar a escola. In: InterMeio - Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação, Campo Grande, MS, v. 14, n. 28, p. 80-91, jul.-dez./2008.

SOUZA, Eloisio Moulin de; GARCIA, Agnaldo. Um diálogo entre Foucault e o marxismo: caminhos e descaminhos. In: RAGO, Margareth; MARTINS, Adilton L. (org.) Revista Aulas - Dossiê Foucault, n. 3 – dezembro 2006/março 2007.

TANCREDI, Regina Maria Simões Pulcinelli. Aprendizagem da Docência e Profissionalização: Elementos de uma reflexão. Coleção UAB-UFSCAR, Pedagogia, p. 11-31 e p. 35- 59. São Carlos, 2009.

YOUNG, Michael. Para que servem as escolas? Educ. Soc. [online]. 2007, vol.28, n.101, pp.1287-1302. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v28n101/a0228101.pdf. Acesso em 12 maio 2020.

WACHOWICZ, Lílian Anna. Pedagogia mediadora. Petrópolis, Vozes, 2009.

Downloads

Publicado

14-02-2022

Como Citar

PEIXOTO, R.; SESSINO TOLEDO BARBOSA, J. R. POSTURA ÚNICA NA EDUCAÇÃO: O VELHO DISCURSO DO PROFESSORADO. Temas & Matizes, [S. l.], v. 15, n. 26, p. 509–538, 2022. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temasematizes/article/view/25859. Acesso em: 2 jul. 2022.