A FORMAÇÃO INICIAL DO PEDAGOGO E O PIBID: EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS COM O MÉTODO MONTESSORI NA EDUCAÇÃO INFANTIL E COM ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Autores

Palavras-chave:

Formação de professores. Pibid. Método Montessori. Alfabetização.

Resumo


A partir de uma experiência com o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) no desenvolvimento de um dos subprojetos do curso de Pedagogia, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, campus de Francisco Beltrão, que tem atuado junto a este programa há seis anos, o objetivo deste artigo é analisar e discutir as contribuições do referido programa à formação inicial do pedagogo. Para isso, tomamos como referência o processo formativo de um grupo de acadêmicos que acompanhou e participou de atividades pedagógicas em um Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI), onde tiveram contato com o método Montessori, e em duas escolas públicas em turmas de alfabetização nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Para as análises e reflexões deste trabalho, temos como base nosso olhar de observadoras e coordenadoras do subprojeto que no decorrer do desenvolvimento de atividades semanais com o grupo nos permitiu acompanhar todo o processo formativo dos acadêmicos e ouvir seus relatos sobre suas vivências no programa, além, dos momentos de reflexões sobre a prática de ensino que aconteciam. Algumas constatações sinalizam para o quanto é significativa a inserção dos acadêmicos nas instituições de ensino desde os primeiros anos de sua graduação, consolidando uma relação mais efetiva entre teoria e prática e potencializando experiências formativas mais amplas, ao mesmo tempo que constituindo a identidade de sua atuação profissional com a docência.

 

Biografia do Autor

Karin Cozer de Campos, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

Professora Associada do Centro de Ciências Humanas, curso de Pedagogia. Doutora em Educação. Integrante do Grupo de Pesquisa Educação, Crianças e Infância - GPECI, da Unioeste.

Caroline Machado Cortelini Conceição, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

Professora Associada do Centro de Ciências Humanas, curso de Pedagogia. Professora do Programa de Pós Graduação em Educação, Mestrado em Educação. Doutora em Educação. Integrante do Grupo de Pesquisa Educação, Crianças e Infância

Referências

ALMEIDA, Talida. Montessori: o tempo o faz cada vez mais atual. Perspectiva, v. 1, n. 2, p. 9-19, 1984.

CAMPOS, Casemiro de Medeiros. A aula e o trabalho docente. In: _____. Saberes docentes e autonomia dos professores. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

COSTA, Magda Sueli Pereira. Maria Montessori e seu método. Linhas Críticas, Brasília, v. 7, n. 13, p. 305-320, jul/dez, 2001. Disponível em: < https://periodicos.unb.br/index.php/linhascriticas/article/view/2914/2618>. Acesso: 03 de março de 2019.

CRUZ, Giseli Barreto da. 70 anos do curso de Pedagogia no Brasil: uma análise a partir da visão de dezessete pedagogos primordiais. Educ Soc. Campinas, v. 30, n. 109, p. 1187-1208, set./dez., 2009. Disponível em: < https://www.scielo.br/pdf/es/v30n109/v30n109a13.pdf>. Acesso: 09 de setembro de 2019.

CUNHA, Maria Isabel da. A docência como ação complexa: o papel da didática na formação de professores. In: ROMANOWSKI, Joana P. (e outros). Conhecimento local e conhecimento universal: pesquisa, didática e ação docente. Curitiba (PR): Champagnat, 2004. (XI ENDIPE, p. 31-42)

FARIAS, Isabel Maria Sabino et al. Didática e docência: aprendendo a profissão. 3.ed. Brasília: Liber Livro, 2011.

FERREIRA, Aurino Lima; ACIOLY-RÉGNIER, Nadja Maria. Contribuições de Henri Wallon à relação cognição e afetividade na educação. Revista Educar, Curitiba, n. 36, p. 21-38, 2010. Editora UFPR.

GATTI, Bernardete A.; ANDRÉ, Marli E. D. A.; GIMENES, Nelson A. S.; FERRAGUT, Laurizete. Um estudo avaliativo do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid). Fundação Carlos Chagas. São Paulo: FCC/SEP, 2014. Disponível em: <https://www.capes.gov.br/images/stories/download/bolsas/24112014-pibid-arquivoAnexado.pdf>. Acesso: 09 de setembro de 2019.

GIRARDELLO, Gilka. “Eu tenho uma coisa para contar”: inspirações para a escuta das narrativas infantis. Revista da Fundarte. Montenegro, p. 01-21, ano 20, nº 42, julho/setembro de 2020.

LIBANEO, José Carlos. Ainda as perguntas: o que é Pedagogia, quem é o pedagogo, o que deve ser o curso de Pedagogia. In: PIMENTA, Selma Garrido (Org.). Pedagogia e pedagogos: caminhos e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2002.

MONTESSORI, Maria. Pedagogia científica: a descoberta da criança. São Paulo: Editora Flamboyant, 1965.

OSTETTO, Luciana Esmeralda. Observação, registro, documentação: nomear e significar as experiências. In: OSTETTO Luciana Esmeralda (org.) Educação Infantil: saberes e fazeres da formação de professores. São Paulo: Papirus Editora, 2009.

REDIN, Marita Martins et al. Planejamento, práticas e projetos pedagógicos na Educação Infantil. 4. ed. Porto Alegre: Editora Mediação, 2017.

RÖHRS, Hermann. Maria Montessori. Fundação Joaquim Nabuco Recife: Massangara, 2010.

ROLDÃO, M. Currículo, didáticas e formação de professores – a triangulação esquecida? In: OLIVEIRA, M. R. N. S. (Org.). Professor: formação, saberes e problemas. Portugal: Porto, 2014. (p. 93-104).

SOARES, Magda. Alfabetização: a questão dos métodos. São Paulo: Contexto, 2016.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Aula: gênese, dimensões, princípios e práticas. Campinas, SP: Papirus, 2011.

Downloads

Publicado

14-02-2022

Como Citar

COZER DE CAMPOS, K.; MACHADO CORTELINI CONCEIÇÃO, C. A FORMAÇÃO INICIAL DO PEDAGOGO E O PIBID: EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS COM O MÉTODO MONTESSORI NA EDUCAÇÃO INFANTIL E COM ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL. Temas &amp; Matizes, [S. l.], v. 15, n. 26, p. 340–359, 2022. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temasematizes/article/view/26169. Acesso em: 4 jul. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊS:Experiências e desafios do Pibid e do Programa de Residência Pedagógica na formação de professores