A BNCC COMO CURRÍCULO: IMPACTOS NA FORMAÇÃO INTEGRAL DOS SUJEITOS

Autores

  • Marina Silva da luz curso de Pedagogia da Unioeste Campus Francisco Beltrão
  • Alexandra Vanessa de Moura Baczinski

Resumo


A presente pesquisa consiste em compreender a Base Nacional Comum Curricular aprovada em versão final em dezembro de 2018, e o conceito de formação integral nela explicitado. Buscamos demonstrar como a Base deixa uma defasagem no que se refere à formação integral dos sujeitos. Levando em consideração que a mesma se colocou nas escolas como um currículo o que de certa forma contribui ainda mais para uma formação unilateral em oposição a formação omnliateral.  O tema “formação integral” também se encontra no centro do debate educacional dos últimos anos, estando presente em diferentes documentos e legislações, nacionais e internacionais, o que nos levou a necessidade de estudar acerca deste conceito. Desta forma buscamos compreender: Em que medida a organização curricular por competências, proposta na BNCC, pode promover uma formação integral do sujeito? Para tanto realizamos o estudo do documento da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) de 2018, além de artigos que tratam com muita clareza do assunto, a fim de analisar a possibilidade de formação integral a partir da organização curricular nela proposta; bem como compreender o conceito de desenvolvimento omnilateral desenvolvido por Karl Marx; analisar o conceito de “formação integral” apresentado na BNCC; e caracterizar a proposta curricular definida na BNCC de modo a considerar as possibilidades de a educação escolar proporcionar um desenvolvimento integral do sujeito.

Downloads

Publicado

14-02-2022

Como Citar

SILVA DA LUZ, M.; BACZINSKI, A. V. de M. A BNCC COMO CURRÍCULO: IMPACTOS NA FORMAÇÃO INTEGRAL DOS SUJEITOS. Temas & Matizes, [S. l.], v. 15, n. 26, p. 479–508, 2022. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temasematizes/article/view/28234. Acesso em: 2 jul. 2022.