A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL MÉDIO NO INSTITUTO FEDERAL DE SÃO PAULO: IMPLANTAÇÃO DE POLÍTICA PARA INTEGRAÇÃO OU DESINTEGRAÇÃO?

Cíntia Magno Brazorotto, Selma Venco

Resumo

A Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica passou por expressiva expansão entre 2005 e 2014, apresentando um crescimento na ordem de 390% no número de escolas pelo País. Segundo o governo Federal, a expansão justificou-se pela demanda por formação de profissionais qualificados para o mercado de trabalho decorrente do crescimento econômico experimentado nos anos 2000. Neste contexto, os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia foram criados para oferecer educação profissional e tecnológica em todos os níveis e modalidades de ensino, alimentando a expectativa de estudiosos da temática de ampliação da oferta do ensino médio integrado, como caminho para a educação politécnica e para superação do dualismo na educação brasileira. Assim, o presente artigo visa discutir os resultados da pesquisa de mestrado[1] que investigou a implantação dessa modalidade de ensino por meio de um Acordo de Cooperação firmado entre o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo e a Secretaria de Estado da Educação de São Paulo. A análise partiu da hipótese de distância entre o pretendido nos documentos institucionais e sua efetiva implantação, principalmente, no que se refere à integração entre os ensinos médio regular e o técnico profissionalizante. O referencial teórico pautou-se em pesquisadores que se debruçam sobre o tema como Ferretti (1997), Saviani (2003), Frigotto, Ciavatta e Ramos (2012), entre outros. A pesquisa qualitativa buscou apreender a compreensão dos envolvidos na implantação da política em um município do interior paulista, no ano de 2012. Os resultados confirmaram a hipótese de discrepância entre as orientações da política nos documentos institucionais e a realidade em que o curso foi implementado, dificultando a integração entre o ensino médio regular e técnico profissionalizante, indicando a permanência do dualismo na educação nacional.

Palavras-chave

política educacional; ensino médio integrado; educação profissional.

Texto completo:

PDF