ESTADO, DEMOCRACIA E OS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO

ARI RAIMANN, Fernando Santos

Resumo


Este artigo tem por objetivo discutir a constituição do Estado brasileiro, sua democracia burguesa e a atuação dos Conselhos Municipais de Educação (CME), destacando a qualidade socialmente referenciada do ensino. Os CME decorrem do processo de redemocratização do país, presente nas políticas a partir dos anos 1990, pós aprovação da Constituição de 1988.  Como órgãos institucionalizados, os CME se constituíram como oportunidade de participação e representação à comunidade, tendo em vista o acompanhamento e controle social das políticas públicas e do direito à educação. O texto resulta de investigação desenvolvida no Brasil considerando o período pós 1990, que reuniu pesquisadores das seguintes instituições de ensino superior: UFG/JATAÍ; UFU; UFGD; UFMT e UNEMAT. O artigo está estruturado em três seções, quais sejam: (1) A constituição do Estado; (2) Faces da democracia e (3) os Conselhos Municipais de Educação de Goiás. Como resultado, trazemos elementos problematizadores referentes à constituição do Estado, à democracia e aos CME neste contexto.


Palavras-chave


Constituição do Estado. Democracia. Conselho Municipal de Educação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.17648/educare.v13i27.17987

Direitos autorais 2018 Educere et Educare

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

______________________________________________________________

Revista Educere et Educare

e-ISSN 1981-4712 — ISSN 1809-5208
Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Cascavel
Programa de Pós-Graduação em Educação

Rua Universitária, 2069 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110
E-mail: educereeteducare@gmail.com