LUXURY KIDS: MODA, MÍDIA E CONSUMO NAS PÁGINAS DA VOGUE BRASIL KIDS

Débora Cristine Flesch, Sarai Patrícia Schimidt

Resumo

Estamos experimentando um período histórico provisório, no qual o consumo acaba por desempenhar importantes funções em relação a construção do sujeito. Muitas vezes, o ter ocupa o lugar do ser. Todavia, é importante refletir sobre este panorama, uma vez que entendemos que objetos não são capazes de preencher as lacunas desse tempo contingente que vivemos. Por tal motivo, acredita-se que seja importante adicionar mais uma página aos estudos que relacionam mídia, consumo, moda, luxo e criança. É preciso que se pense sobre como a comunicação está apresentando o consumo acelerado de moda para as crianças e seus pais. Diante disto, esta pesquisa faz uma reflexão sobre a relação entre a construção identitária infantil, moda de luxo e consumo, tendo como foco as cartas editorias e os editoriais de moda de capa das edições de inverno de 2011 a 2015 da revista Vogue Brasil Kids. Para este fim, metodologicamente, recorreu-se a análise de conteúdo proposta por Bardin (2004). O trabalho visa analisar a revista mencionada como estratégia pedagógica da cultura do consumo, abordando a modernização do luxo e a popularização da moda como meios de ancoragem cultural para a formação identitária da criança contemporânea. A partir do exposto, por meio das contribuições de Bauman (2008; 2013) e Lipovetsky (2005), as análises salientam a aproximação entre criança e luxo na sociedade de consumidores. 

Palavras-chave

Moda de luxo; criança contemporânea; mídia

Texto completo:

PDF