EXPERIMENTOS DIDÁTICO-CIENTÍFICOS NO CONTEXTO ESCOLAR: CONTRIBUIÇÕES PARA O APRENDIZADO DE CIÊNCIAS SOB A PERSPECTIVA DISCENTE

Sandro Vargas Ustra, Aline Cristine Boaventura

Resumo

As atividades experimentais têm sido objeto de interesse há bastante tempo, principalmente quanto às suas contribuições para um melhor aprendizado dos alunos, especialmente no ensino de Ciências. Porém, muitos são os desafios a serem superados para que essa estratégia didática seja incorporada de fato ao contexto escolar. A partir desse quadro, esse trabalho constitui-se no recorte de uma pesquisa qualitativa mais ampla, que teve como propósito principal compreender a importância das atividades experimentais, de acordo com as perspectivas dos próprios estudantes do Ensino Fundamental, neste caso do 6º e 8º anos do Ensino Fundamental da cidade de Uberlândia-MG. A coleta de dados ocorreu por meio de um questionário aberto com cinco questões e uma entrevista com oito questões relacionadas às atividades experimentais, como e o local onde foram desenvolvidas, conteúdos trabalhados, participação dos alunos, que aspectos foram mais apreciados por eles e que características atribuem para uma boa aula com experimentos didático-científicos. O questionário foi respondido por 42 alunos e a entrevista por 18 alunos. Através da análise de conteúdo das respostas, construímos três categorias principais das perspectivas dos estudantes: a contextualização, a interação e a inovação. Articuladas, essas categorias nos levam a compreender a importância dos experimentos didático-científicos para o processo de ensino-aprendizagem e que não basta apenas incluir a experimentação como “novidade” para motivar e envolver os alunos. As categorias estabelecidas reforçam a possibilidade de desenvolver os experimentos didático-científicos não apenas no laboratório, mas também em diferentes espaços e contextos de tempo e aprendizagens.

Palavras-chave

Experimentos didático-científicos; Laboratório didático; Educação em Ciências.

Texto completo:

PDF