MODERNIZAÇÃO E LAICIDADE: O MODELO FORMATIVO DA IMPRENSA ESPÍRITA BRASILEIRA DO SÉCULO XIX

Alessandro Santos da Rocha

Resumo

Este artigo analisa três periódicos da imprensa espírita brasileira da segunda metade do século XIX, quando o Espiritismo passou a ser disseminado no Brasil por meio de textos favoráveis a instauração do Estado laico. Foram analisados os seguintes periódicos: O Écho d’Além Túmulo: monitor do Espiritismo no Brasil (1869-1870), a Revista Espírita: publicação mensal de estudos psicológicos (1875), e a Revista da Sociedade Acadêmica Deus, Cristo e Caridade (1881-1882). Em comum, os periódicos expunham os princípios da Doutrina Espírita codificados por Alan Kardec. Apesar da perspectiva religiosa, os textos analisados estamparam o debate sobre a transformação social mediante o discurso cientificista visto como modernizador.  Neste sentido, a imprensa espírita pode ser ponderada como os demais jornais, panfletos e revistas que assumiram lugar significativo na formação dos indivíduos do Brasil Império. As suas particularidades buscavam aproximar a ideologia cientificista e o universo religioso com o propósito de comprovar a existência de comunicação entre o universo físico e o mundo espiritual. Todavia, a permanência desse tipo de pensar só seria possível numa sociedade em que o Estado não perpetuasse uma única perspectiva religiosa, ou seja, a do Catolicismo. Destarte, fazia se necessário laicizar as relações políticas do Império para que a Doutrina Espírita pudesse prosperar. O estudo realizado sobre a imprensa espírita demonstra que ela não se restringiu ao âmbito religioso, do contrário, estimulou a formação intelectual dos sujeitos. O conceito de Educação empregado neste trabalho acata que a imprensa pode ser entendida como agente formativo, pautado no aspecto da educação informal. Para este estudo foi utilizada a abordagem histórica e documental, a qual considerou a contextualização do Brasil Imperial, bem como a apreciação crítica das publicações lançadas pela impressa espírita da época.

Palavras-chave

História da Educação; Imprensa Espírita; Modernização

Texto completo:

PDF