A profissão docente na educação infantil: uma análise histórica da Constituição de um grupo profissional

Caroline Machado Cortelini Conceição, Mariane Bertonceli

Resumo

A profissão de professor de educação infantil no Brasil, foi delineada predominantemente, pelas marcas do feminino e da ausência de formação profissional. Diante desse panorama a docência na educação infantil coloca-se como um tema desafiador, tendo em vista que nos deparamos no cotidiano da profissão com os impactos da constituição histórica da profissão e as atuais demandas políticas para a área.  Este artigo discute a profissão docente na educação infantil. Traçamos um breve panorama histórico da carreira docente enfocando a constituição desse grupo profissional e suas especificidades na educação infantil. Apresentamos e analisamos como um grupo de mulheres se constituiu como profissional da educação infantil, bem como destacamos os delineamentos políticos no âmbito municipal, estadual e nacional e apontamos os desafios para a educação infantil. O processo metodológico da investigação contempla a análise documental e a história oral. Toma como contexto de investigação o município de Francisco Beltrão/PR. A pesquisa possibilita vislumbrar a constituição de um grupo profissional, a partir de um contexto específico que, entretanto, permite extrapolações para um universo mais amplo. Na análise realizada é acentuada o improviso e a precariedade como  marcas históricas da educação infantil. Aos cursos de formação de professores impõe-se o desafio de possibilitar uma formação consistente que permita aos novos profissionais  ressignificar a docência na educação infantil a partir do pressuposto da indissociabilidade entre cuidado e educação.

Palavras-chave

Educação Infantil. Formação de Professores. Profissão Docente.

Texto completo:

PDF

Referências

AMBROSETTI, Neusa Banhara; ALMEIDA, Patrícia Albieri de. A constituição da profissionalidade Docente: tornar-se professora de Educação Infantil. Anped. GT: Formação de Professores/n.8, 2007.

APMI. Livro Ata. ATA nº 026/94, 11 de agosto de 1994. Francisco Beltrão/APMI, 1994a.

APMI. Livro Ata. Ata nº 40/95, 09 de junho de 1995. Francisco Beltrão/APMI, 1995.

APMI. Programa Educação Infantil nas creches: Normas técnicas, administrativas e pedagógicas. APMI, 1994b.

ARCE, Alessandra. A documentação oficial e o mito da educadora nata na educação infantil. Cadernos de pesquisa, n.13, p.167-184. Julho/2001.

ARCE, Alessandra. O Mobral e a educação de crianças menores de seis anos durante o regime militar: em defesa do trabalho voluntário. Cadernos CEDES, Campinas, vol. 28, n. 76, p. 379-403, set./dez., 2008.

AZEVEDO, Heloísa Helena Oliveira de. Educação Infantil e formação de professores: para além da separação cuidar-educar. São Paulo: Unesp, 2013.

BERTONCELI, Mariane. Trabalho docente na educação infantil: entre a precarização e a valorização profissional. 2016. 175 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão.

BRASIL. Programa Nacional de Educação Pré-escolar. Brasília: MEC/COEPRE, 1981.

CAMPOS, Maria Malta. A legislação, as políticas nacionais de educação infantil e a realidade: encontros e desafios. In: MACHADO, Ana Lucia de A (org.). Encontros e Desencontros em Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 2002.

CAMPOS, Maria Malta. Educar crianças pequenas: em busca de um novo perfil de professor. Retratos da Escola. Brasília, v. 2, p. 121-131, 2008.

CARVALHO, Olganir Francisco de. A escola como mercado de trabalho: Os bastidores da divisão do trabalho no âmbito escolar. São Paulo: Iglu editora, 1989.

CERISARA, Ana Beatriz. A construção da identidade das profissionais de educação infantil: entre o feminino e o profissional. Tese (Doutorado em Educação), 1996, 265 f. Faculdade de Educação. Universidade de São Paulo, São Paulo.

CONCEIÇÃO, Caroline Machado Cortelini. Práticas e representações da institucionalização da infância: Bebês e crianças bem pequenas na creche em Francisco Beltrão/PR (1980/1990), 2014. 253 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Programa de Pós-Graduação em Educação, São Leopoldo.

CUSTÓDIO. Maria do Carmo. Profissionalização do magistério na educação básica: análise da valorização profissional do professor da educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental, 2011, 284p. Tese (Doutorado) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

DANDOLINI Marilene R. e ARCE, Alessandra. A formação de professores de Educação Infantil: algumas questões para se pensar a profissional que atuará com crianças de 0 a 3 anos. In ARCE, A. MARTINS, L.M. (Org.). Ensinando aos pequenos: de 0 a 3 anos. Campinas, SP: Editora Alínea, 2009.

EVANGELISTA, Olinda; MORAES, Maria Celia Marcondes de; SHIROMA, Eneida Oto. Políticas educacionais: história e crítica. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

FRANCISCO BELTRÃO. Lei Municipal N. 3464/2008. Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do Magistério Municipal de Francisco Beltrão Francisco Beltrão. Prefeitura Municipal, 2008.

FRANCISCO BELTRÃO. Lei Municipal N. 4260/2014. Dá nova redação ao Plano de Cargos, Carreira, Valorização e Remuneração dos professores da Rede Municipal de Ensino (PCCR) de Francisco Beltrão – PR, e dá outras providências. Francisco Beltrão. Prefeitura Municipal, 2014.

FRANCISCO BELTRÃO. Plano Municipal de Educação. Francisco Beltrão: Prefeitura Municipal/Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte, 2007.

GRAZZIOTIN; Luciane Sgarbi S.; ALMEIDA, Dóris Bittencourt. Romagem do tempo e recantos da memória: reflexões metodológicas sobre história oral. São Leopoldo: Oikos, 2012.

KRAMER, Sônia. Profissionais da educação infantil: gestão e formação. São Paulo: Ática, 2005.

KUHLMANN JR, Moisés. Histórias da educação infantil brasileira. Revista Brasileira de Educação. Nº 14, p. 5-18, Mai/Jun/Jul/Ago 2000.

NÖRNBERG, Nara. Aprendiz de professor de borboletas no espaço/tempo da memória – (re)conhecendo trajetórias de docentes na educação rural. 2008, 282p. Tese (Doutorado). Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2008.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, Julia. O desenvolvimento profissional das educadoras de Infância: entre os saberes e os afectos, entre a sala e o mundo. In MACHADO, M. L. de A. (org.). Encontros e Desencontros em Educação Infantil. São Paulo, Cortez, 2002.

OLIVEIRA, Zilma Moraes Ramos de. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.

OLIVEIRA, Zilma Moraes Ramos de et al. Construção da identidade docente: relatos de educadores de educação Infantil. Caderno de pesquisa. V.36, n.129, p.547-571, set./dez. 2006.

PARANÁ. Conselho Estadual de Educação do Paraná. Deliberação nº 003/99, Conselho Estadual de Educação. Dispõe sobre normas para Educação Infantil no Sistema Estadual de Ensino do Paraná.

PARANÁ. Conselho Estadual de Educação do Paraná. Deliberação nº 034/93. Normas para a educação infantil no sistema estadual de ensino do Paraná.

PASQUALOTTO, Lucyelle Cristina. Formação dos profissionais da educação infantil: um desafio para as políticas municipais. In: ORSO, P.o J., et. al (orgs). Educação e história regional: os desafios de sua reconstrução. Cascavel: Coluna do Saber, 2008.

ROLDÃO, Maria do Carmo. Função docente: natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação v. 12 n. 34, p. 94-103, jan./abr. 2007.

ROSEMBERG, Fúlvia. Organizações multilaterais, estado e políticas de educação infantil. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 115, 6/ 32, p. 25-63, março, 2002.

ROSEMBERG, Fúlvia. Sísifo e a educação infantil brasileira. Revista Pro-Posições, vol. 14, N. 1 (40), p. 177-194, Jan/abr. 2003.

SAVIANI, Dermeval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação. v.14 n.40, p. 143-155, Jan./abr. 2009.

SHIROMA, Eneida Oto. Um fantasma ronda o professor: a mística da competência. In MORAES, M.C.M. de. (Org.). Iluminismo às avessas: produções de conhecimento e políticas de formação docente. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.