MODELAGEM NAS ESCOLAS ESTADUAIS PAULISTAS: POSSIBILIDADES E LIMITAÇÕES NA VISÃO DE FUTUROS PROFESSORES DE MATEMÁTICA

Autores

  • Ana Paula dos Santos Malheiros
  • Alex Henrique Alves Honorato

DOI:

https://doi.org/10.17648/educare.v12i24.15331

Palavras-chave:

Educação Matemática. Licenciatura em Matemática. Currículo do estado de São Paulo.

Resumo


Este artigo tem como objetivo discutir possibilidades e limitações de atividades de Modelagem no contexto das escolas estaduais paulistas de Educação Básica, a partir da visão de futuros professores de Matemática. Tais atividades são inspiradas no material didático de uso obrigatório nas escolas, devido às questões relacionadas à política escolar do estado. A abordagem utilizada é qualitativa e os dados foram produzidos em uma disciplina de Estágio Supervisionado de uma universidade pública paulista, por meio de observações e entrevistas. Os resultados indicam que os futuros professores entendem que há possibilidades para o trabalho com a Modelagem a partir do material didático do estado de São Paulo, mas que há algumas limitações, como o não cumprimento de todos os conteúdos, competências e habilidades, assim como o uso apenas de atividades “mais fechadas” de Modelagem. Ainda, essa pesquisa faz parte do esforço de tentar contornar o sistema educacional paulista, pautado na homogeneização da Educação em função de bons desempenhos em avaliações em larga escala.

Downloads

Publicado

25-01-2017

Como Citar

MALHEIROS, A. P. dos S.; HONORATO, A. H. A. MODELAGEM NAS ESCOLAS ESTADUAIS PAULISTAS: POSSIBILIDADES E LIMITAÇÕES NA VISÃO DE FUTUROS PROFESSORES DE MATEMÁTICA. Educere et Educare, [S. l.], v. 12, n. 24, 2017. DOI: 10.17648/educare.v12i24.15331. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/educereeteducare/article/view/15331. Acesso em: 26 jun. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Modelagem Matemática na educação matemática: Cenário atual