A QUESTÃO AFRO-DESCENDENTE NO LIVRO DIDÁTICO: ENSAIO DE REFLEXÃO SOCIOSSEMIÓTICA

Autores

  • Rodrigo Marques Leistner Universidade Federal do Rio Grande

DOI:

https://doi.org/10.17648/educare.v12i25.17018

Palavras-chave:

Questão Afro-Descendente, Livro Didático, Sociossemiótica.

Resumo


Considerando o advento da Lei 10.639/03 - que tornou obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira no currículo oficial da rede de ensino -, o trabalho investiga as significações construídas sobre os sujeitos negros e as práticas afro-brasileiras em livros didáticos anteriores e posteriores a essa jurisdição. Através de um viés de análise sociossemiótico, infere-se que, se os textos anteriores à Lei ainda reproduzem caracterizações negativas acerca daqueles sujeitos e suas práticas, algumas publicações recentes demonstram a emergência de significações alternativas, as quais operam como interessantes estratégias de desconstrução de diversos “mitos” relativos à questão afro-descendente.  

 

Biografia do Autor

Rodrigo Marques Leistner, Universidade Federal do Rio Grande

Doutor em Ciências Sociais pela Universiade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Atualmente é Professor Adjunto A na Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Trabalha com teoria social e antropologia urbana, dedicando-se a temas como relações étnico-raciais, cultura afro-brasileira, cultura e religiosidade popular, identidades e sociabilidades na sociedade contemporânea.

Downloads

Publicado

12-12-2017

Como Citar

LEISTNER, R. M. A QUESTÃO AFRO-DESCENDENTE NO LIVRO DIDÁTICO: ENSAIO DE REFLEXÃO SOCIOSSEMIÓTICA. Educere et Educare, [S. l.], v. 12, n. 25, 2017. DOI: 10.17648/educare.v12i25.17018. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/educereeteducare/article/view/17018. Acesso em: 14 ago. 2022.