CRÍTICA À NOÇÃO DE PROGRESSO DO POSITIVISMO COMTIANO

Autores

  • Sergio Tiski Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.17648/educare.v12i27.18152

Palavras-chave:

Comte, positivismo, crítica

Resumo


O objetivo deste trabalho é comentar criticamente a noção de progresso do positivismo comtiano. Baseamo-nos na obra de Comte e nos nossos próprios escritos a respeito dela. Esse esforço se justifica pela atualidade e candência dessa questão e pela importância do posicionamento de Comte, fundador da primeira filosofia científica explícita, a respeito dela. Quanto aos passos deste trabalho, primeiramente vamos focar a noção de progresso em geral; a seguir o progresso no sentido moral, expondo algumas sugestões nesse sentido. Por fim chegamos a algumas sugestões a respeito do progresso imediato. A nossa principal conclusão é a de que, ao invés do que Comte afirma, o progresso a ser alcançado é a consolidação do monoteísmo.

Biografia do Autor

Sergio Tiski, Universidade Estadual de Londrina

Pós-doutor em filosofia; professor aposentado da UEL

Downloads

Publicado

20-12-2017

Como Citar

TISKI, S. CRÍTICA À NOÇÃO DE PROGRESSO DO POSITIVISMO COMTIANO. Educere et Educare, [S. l.], v. 12, n. 27, 2017. DOI: 10.17648/educare.v12i27.18152. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/educereeteducare/article/view/18152. Acesso em: 26 jun. 2022.

Edição

Seção

Dossiê temático: Ordem e progresso: Memória, positivismo e Política