AVALIAÇÃO E ACREDITAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO NA AMÉRICA LATINA: INTERFACES COM O SISTEMA BRASILEIRO

Autores

  • Daniela Côco Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Eliana Tavares Pereira Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Talita Moreira de Oliveira Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
  • Livio Amaral Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.17648/educare.v16i39.23478

Palavras-chave:

Avaliação, pós-graduação, América Latina

Resumo


Este artigo focaliza as características das políticas de acreditação e avaliação da pós-graduação na América Latina, atentando para interfaces com a política brasileira. Objetivando contribuir na produção de reflexões sobre as tendências no desenvolvimento das políticas avaliativas da pós-graduação na América Latina, estudou-se os países Argentina, Brasil, Colômbia, Costa Rica e México. Com as análises dos processos avaliativos constatou-se que, em relação ao caráter de compulsoriedade, ocorre uma distribuição entre países, com um grupo em que a avaliação é obrigatória e outro voluntária. No que tange à parametrização, as variáveis mais comuns são a atenção ao corpo docente e ao corpo discente, e as escalas avaliativas se distribuem entre indicadores quantitativos e qualitativos. Quanto ao processo, contata-se a condução por pares acadêmicos de reconhecida competência, tendo, em quase todos os países, uma etapa de autoavaliação. Relativo à periodicidade, ocorre uma diferenciação nos países, captando intervalos entre 3 e 10 anos. No conjunto, os diversos modelos avaliativos analisados buscam atestar a qualidade e fomentar um processo contínuo de melhorias dos programas de pós-graduação.

Biografia do Autor

Daniela Côco, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda do programa de pós-graduação em educação em ciências: química da vida e saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Analista em Ciência e Tecnologia da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Eliana Tavares Pereira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestranda do programa de pós-graduação em educação em ciências: química da vida e saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Analista em Ciência e Tecnologia da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Talita Moreira de Oliveira, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Doutorado em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2017). Analista em Ciência e Tecnologia na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), atualmente é Coordenadora-Geral de Atividades de Apoio à Pós-Graduação.

Livio Amaral, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutor em Física (1982) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Desde 1998 é Professor Titular do Departamento de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Exerceu o cargo de Diretor de Avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento do Ensino Superior (CAPES) de 2009 a 2015. Atualmente exerce o cargo de Diretor da Casa do Brasil (CIUP) em Paris, França.

Downloads

Publicado

20-07-2021

Como Citar

CÔCO, D.; PEREIRA, E. T.; DE OLIVEIRA, T. M.; AMARAL, L. AVALIAÇÃO E ACREDITAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO NA AMÉRICA LATINA: INTERFACES COM O SISTEMA BRASILEIRO. Educere et Educare, [S. l.], v. 16, n. 39, p. 8–27, 2021. DOI: 10.17648/educare.v16i39.23478. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/educereeteducare/article/view/23478. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: AVALIAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO NO BRASIL