Desnutrição e intervenção nutricional em idosos de uma instituição de longa permanência

Autores

  • Grasiele Carmo da Silva Instituto Multiprofissional em Saúde - Campus Anísio Teixeira - Universidade Federal da Bahia https://orcid.org/0000-0003-0031-8388
  • Bruna Rafaela Moreira Mesquita Instituto Multiprofissional em Saúde - Campus Anísio Teixeira - Universidade Federal da Bahia
  • Marina Encarnação Benfica Instituto Multiprofissional em Saúde - Campus Anísio Teixeira - Universidade Federal da Bahia
  • Vivian Francielle França Instituto Multiprofissional em Saúde - Campus Anísio Teixeira - Universidade Federal da Bahia
  • Luiz Gustavo Vieira Cardoso Instituto Multiprofissional em Saúde - Campus Anísio Teixeira - Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.48075/aes.v3i1.26323

Palavras-chave:

Envelhecimento, Instituição de Longa Permanência para Idosos, Desnutrição, Intervenção nutricional.

Resumo


Idosos institucionalizados estão mais propensos ao risco nutricional ou desnutrição. Logo, é importante monitorar permanentemente as condições nutricionais, para implementar ações de intervenção nutricional.  Objetivo do estudo foi avaliar a frequência de desnutrição em idosos institucionalizados, planejar, executar e avaliar os resultados de ações e estratégias de intervenção nutricional. Foram aferidas medidas antropométricas para estimar peso e altura, posteriormente, calcular e classificar pelo Índice de massa corporal (IMC) o estado nutricional. De forma complementar, foram usadas informações da circunferência da panturrilha (CP) e adequação da circunferência do braço (%CB). Necessidades energéticas foram estimadas pela equação de bolso, seguida por intervenções nutricionais que priorizaram aumento do aporte energético e proteico nas refeições. Foram feitas análises descritivas e aplicado teste T de Student em amostras pareadas para identificar mudanças no estado nutricional entre avaliação e reavaliação nutricional. Entre os 43 idosos a frequência de desnutrição foi 60,5% segundo IMC, 71,45% para %CB e 71,4% para CP. Após intervenções nutricionais 27 idosos foram reavaliados com a possibilidade de investigar o impacto das intervenções. O estudo encontrou prevalência elevada de desnutrição, as intervenções resultaram em aumento de algumas variáveis antropométricas, embora sem diferenças estatísticas, justificado pelo curto período da condução do monitoramento após intervenção.

Biografia do Autor

Grasiele Carmo da Silva, Instituto Multiprofissional em Saúde - Campus Anísio Teixeira - Universidade Federal da Bahia

Graduanda em Nutrição

Bruna Rafaela Moreira Mesquita, Instituto Multiprofissional em Saúde - Campus Anísio Teixeira - Universidade Federal da Bahia

Graduanda em Nutrição

Marina Encarnação Benfica, Instituto Multiprofissional em Saúde - Campus Anísio Teixeira - Universidade Federal da Bahia

Graduanda em Nutrição

Vivian Francielle França, Instituto Multiprofissional em Saúde - Campus Anísio Teixeira - Universidade Federal da Bahia

Docente do curso de Nutrição

Luiz Gustavo Vieira Cardoso, Instituto Multiprofissional em Saúde - Campus Anísio Teixeira - Universidade Federal da Bahia

Docente do curso de Nutrição

Referências

Fagundes KVDL, Esteves MR, Ribeiro JHM, Siepiersk CT, Silva JV, Mendes MA. Instituições de longa permanência como alternativa no acolhimento das pessoas idosas. Rev. Salud Pública. 2017; 19 (2): 210-214.

Alves MB, Menezes MR, Felzemburg RDM, Silva VA, Amaral JB. Instituições de longa permanência para idosos: aspectos físico-estruturais e organizacionais. Rev Enferm. 2017; 21(4).

Oliveira KDL, Haack A, Fortes RC. Terapia nutricional na lesão por pressão: revisão sistemática. Rev. bras. geriatr. Gerontologia 2017;.20 (4): 567-575.

Mendes GM, Oliveira TC. Assistência Nutricional em Instituição de Longa Permanência para Idosos: Relato de Experiência. Rev. Bras. de Educação e Cultura. 2018; 156-165.

Bermejo RV, Garcia IA, Galera DM, Las Heras Rodriguez M, Torramade JP. Prevalencia de desnutrición en personas mayores institucionalizadas em España: un análisis multicéntrico nacional. Rev Nutr Hosp. 2015; 31(3):1205-1216.

Damo CC, Doring M, Alves ALS, Portella MR. Risco de desnutrição e os fatores associados em idosos Institucionalizados. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. 2018; 21(6): 735-742.

Magagnin T, Santiago GDC, Dutra JDDR, Silva SD, Nunes RZS, Rabelo JS, et al. O Olhar Multiprofissional em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos de Santa Catarina. Rev. Mult. Psic. 2019; 13 (45): 591-593.

Silva LD, Silva NC, Ferreira ES, Castro LC, Alencar MSS. Fatores de risco que potencializam fragilidades em idosos institucionalizados. Research, Society and Development. 2020; 9 (5)

Mesquita AF, Silva EC, Eickemberg M, Roriz AKC, Barreto - Medeiros JM, Ramos LB. Factors associated with sarcopenia in institutionalized elderly. Nutr. Hosp. 2017; 34 (2): 345-351

Moreira NCF, Krausch-Hofmann S, Matthys C, Vereecken C, Vanhauwaert E, Declercq A, et al. Risk factors for malnutrition in Older Adults: A 18 systematic Review of the Literature Based on Longitudinal Data. Adv Nutr. 2016; 7 (3):507-22.

Panes, VCB. Qualidade de vida e síndrome da fragilidade em idosos [Tese de Doutorado]. Bauru – SP: Faculdade de Odontologia de Bauru; 2017.

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada [homepage na internet]. Atlas de Desenvolvimento Humano no Brasil. 2010. [acesso em 20 de abr de 2020]. Disponível em: http:atlasbrasil.org.br.

Conselho Nacional do Ministério Público. Manual de atuação funcional: o Ministério Público na Fiscalização das Instituições de Longa Permanência para Idosos. Brasília: Conselho Nacional do Ministério Público, 2016.

Lohman TG, Roache AF, Martorell R. Anthropometric standardization reference manual. Illinois: Human Kinetics Books. 1988.

Chumlea WC, Guo S, Roche AF, Steinbaugh ML. Prediction of body weight for the nonambulatory elde rly from anthropometry. J Am Diet Assoc. 1988; 88: 564-568.

Chumlea WC, Roche AF, Steinbaugh ML. Estimating stature from knee height for persons 60 to 90 years age. J Am Geriatr Soc. 1985; 33 (2): 116-120.

Lipschitz DA. Screening for nutritional status in the elderly. Primary Care – Clinics in Office Practice. 1994; 21 (1): 55-67.

National Institutes of Health, National Heart Lung and Blood Institute. Clinical guidelines on the identification, evaluation, and treatment of overweight and obesity in adults. In: National Institutes of Health National Heart Lung and Blood Institute, editors, 1998.

World Health Organization. Obesity: preventing and ma naging the global epidemic. Geneva; 1998. [WHO - Technical Report Series]

Paddon-Jones D, Short KR, Campbell WW, Volpi E, Wolfe RR. Role of dietary protein in the sarcopenia of aging. Am J Clin Nutr 2008; 87(5): 1462S-6S.

Waters DL, Baumgartner RN, Garry PJ, Vellas B. Advantages of dietary, exercise-related, nad therapeutic interventions to prevent and treat sarcopenia in adult patients: na update. Clin Interv Aging 2010; 5: 259-70.

Gonzalez MC, Horie LM, Campos ACL, Waitzberg DL, Nascimento JEAS, Correia MITD et al. Braspen Journal. São Paulo. 2018; 33 (8).

Lima APM, Gomes KVL, Pereira FGF, Barros LM, Silva MG da, Frota NM. Avaliação nutricional de idosos residentes em instituições de longa permanência. Rev. baiana enferm. 2017; 31(4)

Egydio L. Do Feminismo à Feminização: Gênero e Envelhecimento em uma sociedade em transformação. Rev Portal de Divulgação. 2017; (54)

Andrade FLJP, Lima JMR, Fidelis KNM, Jerez-Roig J, Lima KC. Incapacidade cognitiva e fatores associados em idosos institucionalizados em Natal, RN, Brasil. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol (online). 2017; 20 (2): 186-197

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [homepage na internet]. Censo 2010: Características da população e dos domicílios [acesso em 27 abr 2020]. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/93/cd_2010_caracteristicas_populacao_domicilios.pdf

Trennepohl C, Hansen D, Thum C. Características de saúde de idosos institucionalizados. In: XXII Seminário Interinstitucional de Ensino, Pesquisa e Extensão; Rio Grande do Sul: Universidade de Cruz Alta; 2017.

Gatto CM. Caracterização das condições de saúde e presença de polifarmácia em idosos institucionalizados [Dissertação de pós-graduação]. Passo Fundo – RS: Universidade de Passo Fundo; 2017.

Reis KMC, Jesus CAC. Relationship of polypharmacy and polypathology with falls among institutionalized elderly. Texto Contexto Enferm, 2017; 26(2): e3040015

Schmidt L, Soder TF, Volkweis DSH, Benetti F. Avaliação nutricional de idosos institucionalizados de uma ILPI do interior do estado do Rio Grande do Sul. RBCEH. 2017; 14 (1): 83-92.

Santos ANPC, Silva IB, Oliveira J. Perfil alimentar e nutricional de idosos residentes em instituição de longa permanência [Trabalho de Conclusão de Curso]. Araçatuba – SP: Centro Universitário Toledo; 2016.

Wijnhoven HAH ,Schueren MAEB , Heymans MW, De Vet HC, Kruizenga HM, Twisk JM, et al. Low Mid-Upper Arm Circumference, Calf Circumference, and Body Mass Index and Mortality in Older Persons. J Gerontol A Biol Sci Med Sci. 2010; 65ª (10): 1107–1114.

Gottschall C,Tarnowski M, Machado P, Raupp D, Marcadenti, Rabito EL, A et al. Predictive and concurrent validity of the Malnutrition Universal Screening Tool using mid-upper arm circumference instead of body mass index. J Hum Nutr Diet. 2019; 32, 775–780.

Nogueira GMB, Oliveira Neto J, Carlos DMO. Avaliação nutricional de idosos dependentes funcionais institucionalizados: uma visão antropométrica. Revista Varia Scientia – Ciências da Saúde. 2017; 3 (1).

Paino Pardal L, Poblet i Montells L, Ríos Álvarezc L. Mayores que viven solos y malnutrición. Rev Atencion Primaria. 2017; 49(8):450 – 458.

Poscia A , Milovanovic S, La Milia DI, Duplaga M, Grysztar M, Landi F, et al. Effectiveness of nutritional interventions addressed to elderly persons: umbrella systematic review with meta-analysis. Eur J of Public Health. 2018; 28 (2): 275–283.

Downloads

Publicado

16-12-2020

Como Citar

DA SILVA, G. C.; MESQUITA, B. R. M.; BENFICA, M. E.; FRANÇA, V. F.; CARDOSO, L. G. V. Desnutrição e intervenção nutricional em idosos de uma instituição de longa permanência. Acta Elit Salutis, [S. l.], v. 3, n. 1, p. 14, 2020. DOI: 10.48075/aes.v3i1.26323. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/salutis/article/view/26323. Acesso em: 7 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais