Formação de professores e educação inclusiva: possibilidades de pensar para além da mesmidade

Autores

  • Jenerton Arlan Schütz Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUI) https://orcid.org/0000-0002-3603-7097
  • Daniel Skrsypcsak Centro Universitário FAI - Itapiranga/SC
  • Lilian Wecker Rother

Palavras-chave:

Formação de Professores, Educação Inclusiva, Alteridade.

Resumo


O presente texto, de cunho bibliográfico, objetiva refletir sobre a formação de professores para os desafios de uma Educação Inclusiva. Para tanto, consideramos imprescindível (re)pensar e (re)significar a prática docente, que exige a articulação da teoria com a prática, a fim de resolver situações-problema e refletir sobre a própria atuação profissional. Só assim podemos acolher as diversidades presentes na escola e em cada sala de aula e, desse modo, pensar para além de uma pedagogia da mesmidade ou do apagamento. Pensar para além da mesmidade exige resgatar e garantir a humanização e respeitar todos na sua diferença, uma vez que o Outro é sempre uma nova possibilidade, um novo (re)começo na experiência educativa.

Biografia do Autor

Jenerton Arlan Schütz, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUI)

Doutorando em Educação nas Ciências (UNIJUI), Mestre em Educação nas Ciências (UNIJUI), Especialista em Metodologia de Ensino de História pela Uniasselvi e Licenciado em História e Sociologia pela mesma Instituição. Bolsista CAPES. Áreas e autores de investigação: Modernidade, Educação, Infância, Política, Hannah Arendt. Participa do grupo de estudo sobre: Teoria Crítica e Educação; Estudos Hermenêuticos e Teorias pedagógicas e dimensões éticas e políticas da educação do Mestrado e Doutorado em Educação nas Ciências (UNIJUÍ).

Daniel Skrsypcsak, Centro Universitário FAI - Itapiranga/SC

Doutorando em Educação nas Ciências (UNIJUI), Mestre em Educação (UNESC), graduado em Educação Física (UFSM), professor da Rede Estadual de Ensino de Santa Catarina e professor na Graduação e Pós-Graduação no Centro Universitário FAI de Itapiranga. 

Lilian Wecker Rother

Graduada em Licenciatura em Matemática pela Fai Faculdades de Itapiranga-SC. Pós-graduada em Metodologia do Ensino da Matemática pela FAEL. Professora da rede estadual de Santa Catarina

Referências

ARENDT, Hannah. A condição humana. Tradução de Roberto Raposo. Revisão e apresentação de Adriano Correia. 11. ed. rev. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. Tradução de Mauro W. Barbosa. 7. ed. São Paulo: Perspectiva, 2013.

AZANHA, J. M. P. Educação: tema polêmicos. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9394/96. 1996.

BRASIL. Resolução nº. 02/2001. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Brasília: CNE, 2001.

CORREIA, L. M. Inclusão e necessidades educativas especiais: um guia para educadores e professores. 2. ed. Porto: Porto Editora, 2008.

DIEZ, Carmen Lucia Fornari; COSTA, Wanderleia Dalla. Mediação educativa e alteridade. Conjectura: Filos. Educ., Caxias do Sul, v. 21, n. 1, p. 182-199, jan./abr. 2016.

FÁVERO, Osmar et al. (Org.) Tornar a educação inclusiva. Brasília: UNESCO, 2009.

FREITAS, Soraia Napoleão. A formação de professores na educação inclusiva: construindo a base de todo o processo. In: RODRIGUES, Davi (Org.). Inclusão e Educação: doze olhares sobre a educação inclusiva. São Paulo: Summus, 2006.

GROHS, Ana Cristina da Costa Piletti; FERRARI, Maria Aparecida. Competências Necessárias Na Formação Dos Estudantes De Relações Públicas: Uma Visão De Professores E Profissionais Do Mercado. In: Anais do 10º ABRAPCORP. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2016.

LEVINAS, Emmanuel. Entre nós: ensaios sobre a alteridade. Tradução de Pergentino Stefano Pivatto. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

LEVINAS, Emmanuel. Totalidade e infinito. Trad. de José Pinto Ribeiro. Lisboa: Edições 70, 1980.

LEVINAS, Emmanuel. Da existência ao existente. Campinas, SP: Papirus, 1998.

MEIRIEU, P. O cotidiano da escola e da sala de aula: o fazer e o compreender. Porto Alegre: Artmed, 2005.

MEIRIEU, P. A pedagogia entre o dizer e o fazer: a coragem de começar. Porto Alegre: Artmed, 2002.

MIRANDA, José Valdinei Albuquerque. Ética da alteridade e educação. 2008. Tese (Doutorado em Educação) – UFRGS, Porto Alegre, 2008.

MITTLER, Peter. Educação Inclusiva: Contextos sociais. Porto Alegre: artmed, 2003.

NÓVOA, A. A formação de professores e a profissão docente. In: NÓVOA, A. (Coord.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

SANTOS, B. de S. Renovar a teoria crítica e reinventar a emancipação social. São Paulo: Boitempo, 2007.

SILVA, Lívia Ramos de Souza; REIS, Marlene Barbosa de Freitas. Educação Inclusiva: o desafio da formação de professores. Revelli, Inhumas, v.3, n.1, p. 07-17, mar 2011.

SKLIAR, Carlos. Pedagogia (improvável) da diferença: e se o outro não estivesse aí? Tradução de Giane Lessa. Rio de Janeiro: DP&A, 2003a.

SKLIAR, Carlos. A Educação e a pergunta pelos “Outros”. Ponto de Vista, Florianópolis, n.05, p. 37-49, 2003b.

YOUNG, Michael F. D. Para que servem as escolas? Educ. Soc., vol. 28, n. 101. Campinas: set./dez. 2007.

ZOÍA, A. Todos iguais, todos desiguais. In: ALMEIDA, D. B. de (Org). Educação: diversidade e inclusão em debate. Goiânia: Descubra, 2006. pp. 13-25.

Downloads

Publicado

28-12-2017

Como Citar

SCHÜTZ, J. A.; SKRSYPCSAK, D.; ROTHER, L. W. Formação de professores e educação inclusiva: possibilidades de pensar para além da mesmidade. Temas & Matizes, [S. l.], v. 11, n. 21, p. 1–15, 2017. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temasematizes/article/view/17944. Acesso em: 21 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Rumos da Educação Brasileira: A formação de professores em Discussão