A profissão docente na educação infantil: uma análise histórica da Constituição de um grupo profissional

Autores

  • Caroline Machado Cortelini Conceição Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Campus de Francisco Beltrão
  • Mariane Bertonceli

Palavras-chave:

Educação Infantil. Formação de Professores. Profissão Docente.

Resumo


A profissão de professor de educação infantil no Brasil, foi delineada predominantemente, pelas marcas do feminino e da ausência de formação profissional. Diante desse panorama a docência na educação infantil coloca-se como um tema desafiador, tendo em vista que nos deparamos no cotidiano da profissão com os impactos da constituição histórica da profissão e as atuais demandas políticas para a área.  Este artigo discute a profissão docente na educação infantil. Traçamos um breve panorama histórico da carreira docente enfocando a constituição desse grupo profissional e suas especificidades na educação infantil. Apresentamos e analisamos como um grupo de mulheres se constituiu como profissional da educação infantil, bem como destacamos os delineamentos políticos no âmbito municipal, estadual e nacional e apontamos os desafios para a educação infantil. O processo metodológico da investigação contempla a análise documental e a história oral. Toma como contexto de investigação o município de Francisco Beltrão/PR. A pesquisa possibilita vislumbrar a constituição de um grupo profissional, a partir de um contexto específico que, entretanto, permite extrapolações para um universo mais amplo. Na análise realizada é acentuada o improviso e a precariedade como  marcas históricas da educação infantil. Aos cursos de formação de professores impõe-se o desafio de possibilitar uma formação consistente que permita aos novos profissionais  ressignificar a docência na educação infantil a partir do pressuposto da indissociabilidade entre cuidado e educação.

Biografia do Autor

Caroline Machado Cortelini Conceição, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Campus de Francisco Beltrão

Doutrora em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2014). Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (2004). Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Santa Maria (2000). Professora Adjunta da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Campus de Francisco Beltrão - Centro de Ciências Humanas.

Referências

AMBROSETTI, Neusa Banhara; ALMEIDA, Patrícia Albieri de. A constituição da profissionalidade Docente: tornar-se professora de Educação Infantil. Anped. GT: Formação de Professores/n.8, 2007.

APMI. Livro Ata. ATA nº 026/94, 11 de agosto de 1994. Francisco Beltrão/APMI, 1994a.

APMI. Livro Ata. Ata nº 40/95, 09 de junho de 1995. Francisco Beltrão/APMI, 1995.

APMI. Programa Educação Infantil nas creches: Normas técnicas, administrativas e pedagógicas. APMI, 1994b.

ARCE, Alessandra. A documentação oficial e o mito da educadora nata na educação infantil. Cadernos de pesquisa, n.13, p.167-184. Julho/2001.

ARCE, Alessandra. O Mobral e a educação de crianças menores de seis anos durante o regime militar: em defesa do trabalho voluntário. Cadernos CEDES, Campinas, vol. 28, n. 76, p. 379-403, set./dez., 2008.

AZEVEDO, Heloísa Helena Oliveira de. Educação Infantil e formação de professores: para além da separação cuidar-educar. São Paulo: Unesp, 2013.

BERTONCELI, Mariane. Trabalho docente na educação infantil: entre a precarização e a valorização profissional. 2016. 175 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão.

BRASIL. Programa Nacional de Educação Pré-escolar. Brasília: MEC/COEPRE, 1981.

CAMPOS, Maria Malta. A legislação, as políticas nacionais de educação infantil e a realidade: encontros e desafios. In: MACHADO, Ana Lucia de A (org.). Encontros e Desencontros em Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 2002.

CAMPOS, Maria Malta. Educar crianças pequenas: em busca de um novo perfil de professor. Retratos da Escola. Brasília, v. 2, p. 121-131, 2008.

CARVALHO, Olganir Francisco de. A escola como mercado de trabalho: Os bastidores da divisão do trabalho no âmbito escolar. São Paulo: Iglu editora, 1989.

CERISARA, Ana Beatriz. A construção da identidade das profissionais de educação infantil: entre o feminino e o profissional. Tese (Doutorado em Educação), 1996, 265 f. Faculdade de Educação. Universidade de São Paulo, São Paulo.

CONCEIÇÃO, Caroline Machado Cortelini. Práticas e representações da institucionalização da infância: Bebês e crianças bem pequenas na creche em Francisco Beltrão/PR (1980/1990), 2014. 253 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Programa de Pós-Graduação em Educação, São Leopoldo.

CUSTÓDIO. Maria do Carmo. Profissionalização do magistério na educação básica: análise da valorização profissional do professor da educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental, 2011, 284p. Tese (Doutorado) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

DANDOLINI Marilene R. e ARCE, Alessandra. A formação de professores de Educação Infantil: algumas questões para se pensar a profissional que atuará com crianças de 0 a 3 anos. In ARCE, A. MARTINS, L.M. (Org.). Ensinando aos pequenos: de 0 a 3 anos. Campinas, SP: Editora Alínea, 2009.

EVANGELISTA, Olinda; MORAES, Maria Celia Marcondes de; SHIROMA, Eneida Oto. Políticas educacionais: história e crítica. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

FRANCISCO BELTRÃO. Lei Municipal N. 3464/2008. Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do Magistério Municipal de Francisco Beltrão Francisco Beltrão. Prefeitura Municipal, 2008.

FRANCISCO BELTRÃO. Lei Municipal N. 4260/2014. Dá nova redação ao Plano de Cargos, Carreira, Valorização e Remuneração dos professores da Rede Municipal de Ensino (PCCR) de Francisco Beltrão – PR, e dá outras providências. Francisco Beltrão. Prefeitura Municipal, 2014.

FRANCISCO BELTRÃO. Plano Municipal de Educação. Francisco Beltrão: Prefeitura Municipal/Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte, 2007.

GRAZZIOTIN; Luciane Sgarbi S.; ALMEIDA, Dóris Bittencourt. Romagem do tempo e recantos da memória: reflexões metodológicas sobre história oral. São Leopoldo: Oikos, 2012.

KRAMER, Sônia. Profissionais da educação infantil: gestão e formação. São Paulo: Ática, 2005.

KUHLMANN JR, Moisés. Histórias da educação infantil brasileira. Revista Brasileira de Educação. Nº 14, p. 5-18, Mai/Jun/Jul/Ago 2000.

NÖRNBERG, Nara. Aprendiz de professor de borboletas no espaço/tempo da memória – (re)conhecendo trajetórias de docentes na educação rural. 2008, 282p. Tese (Doutorado). Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2008.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, Julia. O desenvolvimento profissional das educadoras de Infância: entre os saberes e os afectos, entre a sala e o mundo. In MACHADO, M. L. de A. (org.). Encontros e Desencontros em Educação Infantil. São Paulo, Cortez, 2002.

OLIVEIRA, Zilma Moraes Ramos de. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.

OLIVEIRA, Zilma Moraes Ramos de et al. Construção da identidade docente: relatos de educadores de educação Infantil. Caderno de pesquisa. V.36, n.129, p.547-571, set./dez. 2006.

PARANÁ. Conselho Estadual de Educação do Paraná. Deliberação nº 003/99, Conselho Estadual de Educação. Dispõe sobre normas para Educação Infantil no Sistema Estadual de Ensino do Paraná.

PARANÁ. Conselho Estadual de Educação do Paraná. Deliberação nº 034/93. Normas para a educação infantil no sistema estadual de ensino do Paraná.

PASQUALOTTO, Lucyelle Cristina. Formação dos profissionais da educação infantil: um desafio para as políticas municipais. In: ORSO, P.o J., et. al (orgs). Educação e história regional: os desafios de sua reconstrução. Cascavel: Coluna do Saber, 2008.

ROLDÃO, Maria do Carmo. Função docente: natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação v. 12 n. 34, p. 94-103, jan./abr. 2007.

ROSEMBERG, Fúlvia. Organizações multilaterais, estado e políticas de educação infantil. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 115, 6/ 32, p. 25-63, março, 2002.

ROSEMBERG, Fúlvia. Sísifo e a educação infantil brasileira. Revista Pro-Posições, vol. 14, N. 1 (40), p. 177-194, Jan/abr. 2003.

SAVIANI, Dermeval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação. v.14 n.40, p. 143-155, Jan./abr. 2009.

SHIROMA, Eneida Oto. Um fantasma ronda o professor: a mística da competência. In MORAES, M.C.M. de. (Org.). Iluminismo às avessas: produções de conhecimento e políticas de formação docente. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

Downloads

Publicado

28-12-2017

Como Citar

MACHADO CORTELINI CONCEIÇÃO, C.; BERTONCELI, M. A profissão docente na educação infantil: uma análise histórica da Constituição de um grupo profissional. Temas & Matizes, [S. l.], v. 11, n. 21, p. 64–84, 2017. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temasematizes/article/view/18312. Acesso em: 22 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Rumos da Educação Brasileira: A formação de professores em Discussão