O ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO NO CONTEXTO DA PANDEMIA DA COVID19: A EXPERIÊNCIA DO FORMATO REMOTO

Autores

Palavras-chave:

Educação não-formal, Estágio obrigatório, Pandemia Covid19, Trabalho pedagógico.

Resumo


Este trabalho apresenta a experiência do primeiro estágio curricular obrigatório do curso de Pedagogia da Universidade Estadual de Londrina, realizado remotamente no contexto da pandemia da Covid19. Trata-se do Estágio Supervisionado em Gestão da Educação Não-Formal, problematizando e refletindo o papel do pedagogo nos espaços de Educação Não-formal. As bases teóricas consideraram Gohn (2016), Pimenta (2012), Libâneo e Pimenta (2002), Peroni (2006), na defesa da necessidade do pedagogo nos espaços de Educação não-formal, assim como a diferenciação da organização da Educação nestes espaços para que não seja apenas uma reprodução do sistema de Educação formal. A opção metodológica considerou as orientações nacionais que exigiram o distanciamento social, e diante da demanda do campo de estágio pela formação dos educadores do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos nos temas da Educação Étnico Racial, a proposta foi a realização de um curso remoto para a formação dos educadores utilizando as plataformas digitais para encontros virtuais. Os encontros com os educadores trabalharam três eixos considerando a Educação Étnico Racial, sendo i) bases legais e históricas da Educação Étnico Racial, ii) naturalização do racismo e discriminação no cotidiano e iii) práticas para o trabalho Étnico Racial com os educandos. As intervenções permitiram perceber a importância de pensar, desde a formação inicial, a atuação do pedagogo na Educação não-formal, assim como a necessidade do debate Étnico Racial nas práticas educativas. Como resultado, o estágio contribuiu para o entendimento das especificidades da Educação não-formal e da necessidade do distanciamento das práticas formais adotadas na Educação sistematizada.

Biografia do Autor

Rodrigo Alexandre Cavalarini Faustino, Universidade Estadual de Londrina

Mestrando em Educação pela Universidade Estadual de Londrina (UEL); Graduado em Pedagogia e Administração pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Na área da Educação possui especialização em Gestão Escolar, Educação Infantil e Psicopedagogia pela Universidade Positivo. Na área da Administração possui especialização em Recursos Humanos: Gestão de Pessoas e Competências pelo Centro Universitário Filadélfia (UNIFIL). Principais áreas de interesse e pesquisa: Educação, Políticas Educacionais, Trabalho Pedagógico e Carreira Docente.

Referências

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Capacita SUAS: configurando os eixos de mudança. Brasília: Instituto de Estudos Especiais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2008. v. 1.

BRASIL, Ministério de Desenvolvimento Social. SUAS sem racismo: promoção da Igualdade Racial no Sistema Único de Assistência Social, 2018.

CERQUEIRA F. G. A questão social no Brasil. Crítica do discurso político. Retratos do Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1982.

ENDO, Natalia Balconi. ARAUJO, Mariane Lopes de. OLIVEIRA, Milena Lopes de. Projeto de Intervenção. Disciplina Estágio de Educação Não-formal. Curso de Graduação em Pedagogia. Universidade Estadual de Londrina. 2019.

FONSECA, F.. N. Acerca da ampliação dos espaços de atuação profissional do pedagogo: inquietações, ponderações e cautelas. [S.I.:s.n.], 2006.

FUHRMANN, Nadia. PAULO, Fernanda dos Santos. A formação de educadores. Soc. [digital]. 2014, vol.35, n.127, pp.551-566.

GOHN, M. G. Educação não formal nas instituições Sociais. Revista Pedagógica, Chapecó, v. 18, n. 39, p. 59-75, set./dez. 2016. Disponível em http://pegasus.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/3615. Acesso em 07 ago. 2020.

LIBÂNEO, J. C.; PIMENTA, S. G. Formação dos profissionais da Educação: visão crítica e perspectivas de mudança. In: PIMENTA, S. G. (Org.). Pedagogia e Pedagogos: caminhos e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2002.

LIMA, M. S. L; PIMENTA, S. G. Estágio e docência: diferentes concepções.

Revista Poíesis. v. 3. Números 3 e 4. p. 5-24. 2006.

MARTINS, Eládia Renata da Silva. LIMA, Tamara Candido de. Projeto de Intervenção. Disciplina Estágio de Educação Não-formal. Curso de Graduação em Pedagogia. Universidade Estadual de Londrina. 2019.

SIMSON, Olga R. de M. Von; PARK, Margareth B.; FERNANDES, Renata S.. Educação não-formal: cenários da criação. Organizadoras - Campinas, SP: Editora da Unicamp/Centro de Memória, 2001.

PERONI, Vera Maria Vidal. Mudanças na configuração do Estado e sua influência na política educacional. In: PERONI, V. M. V., BAZZO, V. L. , PEGORARO, L. (org.) Dilemas da educação brasileira em tempos de globalização neoliberal: entre o público e o privado. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006.

PERRUDE, Marleide R. da Silva. As implicações do Estatuto da Criança e do Adolescente na gestão Escolar. IX Semana da Educação, Políticas e Gestão da Educação: dilemas e perspectivas. UEL - Universidade Estadual de Londrina. Maio 2007.

PIMENTA, Selma G. O estágio na formação de professores: unidade, teoria e prática? São Paulo: Cortez, 2012.

PIMENTA, Selma G.; LIMA, Maria S. L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2012.

SILVA, A. T. T da; PASCHOAL,J. D; LEITE, S. R. M.O estágio supervisionado na educação infantil: tempo de construção na formação inicial. In: SILVA, A. T. T da; PASCHOAL,J. D; LEITE, S. R. M. (Orgs.) Estágio e formação inicial de professores: a experiência da Universidade Estadual de Londrina. Londrina: UEL, 2014.

UEL Universidade Estadual de Londrina. Deliberação - Câmara de Graduação N° 030/2011. Regulamento de Estágio Curricular Obrigatório e Não Obrigatório do Curso de Pedagogia. 2011. Disponível em <http://www.uel.br/ceca/ pedagogia/pages/arquivos/deliberacao_30_11%20Est%C3%A1gio%20obrigat%C3%B3rio%20e%20n%C3%A3o%20obrigat%C3%B3rio.pdf>. Acesso em 24 ago. 2020.

TRILLA, J. A educação não-formal. In: ARANTES, V. (Org). Educação formal e não-formal. São Paulo: Summus, 2008.

ZABALZA, Antoni. A. Diários de aula. Porto: Porto Editora, 1994.

Downloads

Publicado

31-05-2021

Como Citar

CAVALARINI FAUSTINO, R. A. O ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO NO CONTEXTO DA PANDEMIA DA COVID19: A EXPERIÊNCIA DO FORMATO REMOTO. Temas &amp; Matizes, [S. l.], v. 14, n. 25, p. 84–101, 2021. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temasematizes/article/view/25978. Acesso em: 27 nov. 2021.

Edição

Seção

DOSSIÊS: A docência frente à pandemia da covid-19: novos desafios, alternativas e perspectivas teórico-metodológicas