Desejo e necessidade e as linguagens da instauração política em Maquiavel

José Luiz Ames

Resumo

A instauração política na ótica de Maquiavel é explicada por duas forças principais: o desejo e a necessidade. A característica essencial do desejo humano é a imoderação e desmedida interna. O desejo é sempre particular e tem em vista o interesse próprio. Isso levanta o problema de saber como é possível a existência de uma forma de vida na qual os indivíduos renunciem à guerra aberta dos desejos e se submetam a finalidades comuns. A necessidade, por seu lado, aparece ao homem como um imperativo cuja natureza não é moral, mas política. A ação política é regulada por leis gerais que determinam a ação do homem de Estado em vista do êxito. A fundação do Estado é um verdadeiro ato criador, pois não há um arranjo na natureza garantindo o empreendimento. Assim, compreender que o homem se move pelo desejo anárquico que o habita e que a regulação desse desejo dá-se pela necessidade é admitir a impossibilidade de uma idade de ouro na qual cessaria todo reino da necessidade exterior.

Palavras-chave

desejo; necessidade; fundação política; Maquiavel

Texto completo:

PDF