Gênero no ensino de Ciências publicações em periódicos no Brasil: o estado do conhecimento

Autores

  • Bettina Heerdt Universidade Estadual de Ponta Grossa, UEPG.
  • Ana Paula Oliveira dos Santos Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG
  • Andréa Do Carmo Bruel De Oliveira Bruel Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG
  • Fernanda Mendes Ferreira Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG
  • Mariane Dos Anjos Caroline dos Anjos Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG
  • Mayara Juliane Swiech Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG
  • Tayna Banckes Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

DOI:

https://doi.org/10.33238/ReBECEM.2018.v.2.n.2.20020

Palavras-chave:

Educação Científica, Gênero e Ciência, Ensino de Ciências

Resumo


Resumo: O artigo tem por objetivo realizar uma análise das pesquisas em Gênero e Educação Científica em todas as revistas nacionais de Ensino de Ciências e/ou Educação dos estratos A1, A2 e B1 no período de 2008 a 2018. Foram elaboradas oito unidades de registro (UR) para análise: Gênero e materiais didáticos; Gênero e inferências de interpretação; Gênero e estudos teóricos; Gênero, práticas e formação de professores; Gênero e a participação da Mulher na Ciência; Gênero e intervenções escolares; Gênero e Ciência na Mídia e Gênero e aprendizagem de Ciências, e após a análise dos artigos foi necessária à elaboração de duas UR emergentes: Interações/percepções em aulas de Ciências e Gênero e produção científica. Foram encontrados 34 artigos em 22 revistas, das 90 revistas investigadas. As pesquisas em Gênero, Ciência e Educação Científica precisam ser ampliadas e aprofundadas para que tenhamos a possibilidade de um ensino mais equânime para meninos e meninas.Palavras-chave: Educação Científica; Gênero e Ciência; Ensino de Ciências. Gender in the teaching of Science publications in journals in Brazil: the state of knowldegeAbstract: The article aims to carry out an analysis of the research on Gender and Scientific Education in all national journals of Science Teaching and/or Education of the strata A1, A2 and B1 in the period from 2008 to 2018. Eight record units (RUs) for analysis were elaborated: Gender and didactic materials; Gender and interpretation inferences ; Gender and theoretical studies; Gender, Teachers’ practices and training ; Gender and the women’s participation of in Science; Gender and school interventions; Gender and Science in the Media and Gender and Science Learning, and after the articles analysis it was necessary to draw up two emerging RUs: Interactions/perceptions in Science lessons and Gender and scientific production. 34 articles were found in 22 journals of the 90 investigated journals. Papers on Gender, Science and Scientific Education must be broadened and deepened so that we have the possibility of a more equitable education for boys and girls.Keywords: Scientific Education; Gender and Science; Science Teaching. 

Biografia do Autor

Bettina Heerdt, Universidade Estadual de Ponta Grossa, UEPG.

Dep. de Biologia Geral - DeBIOPrograma de Pós Graduação em EducaçãoPrograma de Pós Graduação em Ensino de Ciências e Educação MatemáticaUniversidade Estadual de Ponta Grossa-UEPG

Referências

AABD-EL-KHALICK, F.; BELL, R. L.; LEDERMAN, N.G. The nature of science and instructional practice: Making the unnatural natural. Science Education, s.l., v. 82, p. 417-436, 1998.

AGRELLO, D.A.; GARG, R. Mulheres na física: poder e preconceito nos países em desenvolvimento. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 31, n. 1, p. 1305.1-1305.6., 2009.

ANDERSON, E. Feminist Epistemology and Philosophy of Science. In: EDWARD N. (Ed.). ZALTA. The Stanford Encyclopedia of Philosophy (Spring 2011 edition), 2011.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 3. ed. Lisboa: Ed. 70, 2004.

BASTOS, G. D.; LUDKE, E. Reflexões sobre gênero no ensino de biologia: um olhar sobre o discurso de estudantes do primeiro ano do ensino médio acerca da gravidez na adolescência. In: Revista Contexto e educação, s.l., v.32, n.101, p.142-174, 2017.

BATISTA, I. de L.; TOREJANI, A. T. C.; HEERDT, B.; LUCAS, L. B.; OHIRA, M. A.; CORRÊA, M. L.; BARBOSA, R. G.; BASTOS, V. C. Gênero Feminino e Formação de Professores na Pesquisa em Educação Científica e Matemática no Brasil. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 2011. Anais ...[s.l.:s.n.], 2011.

BOZAL, A. G. Mujeres y ciencia: Techos de cristal. EccoS Revista Científica, São Paulo, v. 10, n. 1, p. 213-232, jan. /jun. 2008.

CHAVES, S. A. A Hierarquia De Gênero No Fundamento Teórico Da Disciplina De Ciências Naturais Do Ensino Fundamental I. Educação em Revista, Marília, v. 15, n. 01, p. 73- 90, jan- jun. 2014.

CORDERO, T. A Brief Review of Actions to Strengthen Gender Equality at the University of Costa Rica. Cadernos Pagu, Campinas, n.49, 2017.

CRUZ, M. A crítica feminista à ciência e contribuição à pesquisa nas ciências humanas. Revista Tempos e Espaços em Educação, São Cristóvão, v.7, n.12, p. 15-27. jan./abr. 2014.

DA SILVA, J.; BARBOSA, I.; DE SOUZA, J. Neurociência cognitiva e habilidades de gênero: uma analise do desempenho cognitivo de estudantes brasileiros avaliados no PISA. Revista Areté- Revista Amazônica de Ensino de Ciências, Manaus, v. 8, n. 15, p. 11-25, maio 2017. ISSN 1984-7505.

FAUSTO-STERLING, A. Sexing the Body: Gender Politics and the Construction of Sexuality. New York: Basic Books. 2000.

FOOTE, K.; GARG, R. A cross-cultural survey of female undergraduates’ aspirations for scientific study and careers. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 37, n. 1, 2015.

FREITAS, L. M.; CHAVES, S. N. Desnaturalizando Os Gêneros: Uma Análise Dos Discursos Biológicos. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 15, n. 3, p. 131-148, 2013.

FREITAS, M. de A.; TEIXEIRA, A. B. M. A irrisória representação feminina no prêmio Nobel e nas academias científicas brasileiras. Educa - Revista Multidisciplinar em Educação, Porto Velho, v. 4, n. 9, p. 144-158, set./dez. 2017.

FRENCH, S. Ciência: conceitos-chave em filosofia.Porto Alegre: Artmed, 2009.

GALINDO, M. Z. Gender in science: The impact of equality policies in scientific institutions and practices: The case of Germany. Cadernos Pagu, Campinas, n. 47, 2016.

GIOPPO, C. Pollyana, tome a pílula vermelha! Mas, e depois? revisitando o preconceito de gênero nas avaliações dos livros didáticos de ciências.Revista Contexto e educação, s.l., v.27, n.88, p.103-125, jul/dez. 2012.

GONZÁLEZ, J. P. C. Concepciones Sobre Ciencia y Género En El Profesorado De Química: Aproximaciones Desde Un Estudio Colectivo De Casos. Ciência & Educação, Baúru, v. 19, n. 2, p.323–338, 2013.

GRAF, N. B.; RIUS, L. E. F. Política de Ciencia y Tecnología con Perspectiva de Género en México. Cadernos Pagu, Campinas, n.49, 2017.

HEERDT, B. Saberes docentes: Gênero, Natureza da Ciência e Educação Científica. n.f.. 2014. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) - Centro de Ciências Exatas, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2014.

HEERDT, B.; BATISTA, I. de L. Questões de Gênero e da Natureza da Ciência na Formação Docente. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 21, n. 2, p. 30-51, 2016a.

HEERDT, B.; BATISTA, I. de L. Unidade Didática na Formação Docente: Natureza da Ciência e a visibilidade de Gênero na Ciência. Experiências em Ensino de Ciências, s. l., v.11, n. 2, 39-60, 2016b.

HEERDT, B.; BATISTA, I. de L. Representações sociais de ciência e gênero no ensino de Ciências. Práxis Educativa, s. l., v. 12, n. 3, p. 995-1012, 2017.

KELLER, Evelyn Fox. Qual foi o impacto do feminismo na ciência? Tradução de Maria Luiza Lara. Cadernos Pagu, Campinas, n.27, p. 13-34, 2006.

LIMA, P. J.; OSTERMANN, F.; REZENDE, F. Liderança e Gênero em um debate acadêmico entre graduandos em Física. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v.10, n.1, 2010.

LIMA, P. J.; REZENDE, F.; OSTERMANN, F. Diferenças de Gênero nas Preferências Disciplinares e Profissionais de Estudantes de Nível Médio: Relações com a Educação em Ciências. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 13, n.2, p.119-134, 2011.

LONGINO, H.; DOELL, R. Body, Bias, and Behavior: A Comparative Analysis of Reasoning in Two Areas of Biological Science. Signs, Winter, v. 9, n. 2, p. 206-227, 1983.

MAGALHÃES, J. C.; CASEIRA, F. F. Jovens cientistas: analisando a premiação “para mulheres na ciência”. Ensino em revista, s.l., v.23, n.2, p.387-410, 2016.

MENEZES, D. P.; BUSS, K.; SILVANO, C. A.; D’AVILA, B. N.; ANTENEODO, C. A física da UFSC em números: evasão e gênero. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, s.l., v.35, n.1, p.324-336, abr. 2017.

NETO, P, da, C. P.; SILVEIRA, H. E. da. A História da Ciência: um olhar para periódicos brasileiros de química.Ensino em re-vista, s.l., v.16, n.1, p.105-122, 2009.

PEREIRA, Z. M.; MONTEIRO, S. S. Gênero e sexualidade no ensino de ciências no Brasil: análise da produção científica recente. RevistaContexto e Educação, s.l., v.30, n.95, p.117-146, 2015.

PINHO, M. J. S. A sala de aula de Biologia: espaço gendrado. Revista Educação, Cultura e Sociedade (ECS), Mato Grosso, v. 7, n. 1, p. 32- 44, jan/jun. 2017.

PORRO, S. Lascuestiones de género enelcurriculum (oculto) enlaenseñanza de las ciências. Rencima - Revista de Ensino de Ciências e Matemática, s.l., v. 3, n.3, p. 25-36. 2012.

SILVA, F. A. R.; COUTINHO, F. A. Realidades colaterais e a produção da ignorância em livros didáticos de biologia: um estudo sobre os hormônios e a questão de gênero.Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 21, n. 3, p. 176, 2016.

RODRIGUES, J. G.; GUIMARAES, M. C. S. A Fundação Oswaldo Cruz e a ciência no feminino: a participação feminina na prática e na gestão da pesquisa em uma instituição de ensino e pesquisa. Cadernos Pagu, Campinas, n.46, p. 197-222. 2013.

SANTOS, C. K. Gênero em um Livro Didático do Ensino Médio: Problematizando Representações. Revista Eletrônica Debates em Educação Científica e Tecnológica, s.l., v. 04, n. 01, p. 52 – 51, 2014.

SANTOS, T. R.; GERMANO, A. P.; CERVI, G. M. As imagens do “natural”: uma análise da dominação masculina nos livros didáticos de Ciências. Educação Teoria e Prática, Rio Claro, v. 22, n. 41, p. 82- 99. 2012.

SCALFI, G. A. de M., OLIVEIRA, M. M. Cine y ciencia: unanálisis de losestereotipos presentes enla película infantil Frankenweenie, de Tim Burton. Alexandria Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, s.l., v. 8, n. 2, p.183-197, 2015.

SCHIEBINGER, Londa. O feminismo mudou a ciência? Bauru, Edusc, 2001

SILVA, F. F.; RIBEIRO, P. R. C. Trajetórias de mulheres na ciência: "ser cientista" e "ser mulher". Ciência & Educação, Bauru, v. 20, n. 2, p. 449-466, 2014.

SILVA, A. F.; SANTOS, A. P. O.; HEERDT, B. Questões de Gênero na Educação Científica: Tendências nas Pesquisas Nacionais e Internacionais. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS – ENPEC, 11. 2017. Florianópolis, SC, Anais... Florianópolis, SC: ABRAPEC, 2017.

SOARES, A. G.; ALMEIDA, D. M. Análise de trabalhos apresentados na anped (2004 a 2013) com a temática de gênero e sexualidade no ensino das ciências. Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 24, n. 1, p. 82-96, abr. 2016.

SOMBRIO, M. M. O. Em busca pelo campo – Mulheres em Expedições Científicas no Brasil em meados do século XX. Cadernos Pagu, Campinas, n.48, 2016.

TEIXEIRA, A. B. M.; FREITAS, M. de A. Mulheres na docência do ensino superior em cursos de física. Ensino em revista, s.l., v.21, n.2, p.329-340, 2014.

Downloads

Publicado

31-08-2018

Como Citar

HEERDT, B.; SANTOS, A. P. O. dos; BRUEL, A. D. C. B. D. O.; FERREIRA, F. M.; ANJOS, M. D. A. C. dos; SWIECH, M. J.; BANCKES, T. Gênero no ensino de Ciências publicações em periódicos no Brasil: o estado do conhecimento. Revista Brasileira de Educação em Ciências e Educação Matemática, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 217–241, 2018. DOI: 10.33238/ReBECEM.2018.v.2.n.2.20020. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/rebecem/article/view/20020. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Pesquisa