O monólogo do zoo: nos caminhos de uma narrativa digital?

Monica Érika Pardin Steinert

Resumo

Resumo: : Os zoológicos são instituições científicas porque encerram coleções faunísticas com relevância biológica, além de repercutirem de formas distintas as características dos biomas de origem desses seres vivos. Disto provém sua potencialidade pedagógica, extensível para a Educação Básica com consequente aproveitamento desses lugares como ambientes não formais de ensino. Um ambiente não formal de ensino, mas com potencialidade para o ensino-aprendizagem e que vai ao encontro da proposição sempre vanguardista de turismo educativo feita por Célestin Freinet. Este trabalho é um relato de experiência sobre uma aula de campo que resultou na construção de uma narrativa digital, que se propõe como diálogo entre protagonistas escolares e institucionais, no sentido de modificar uma realidade no seio de um modelo de crise socioambiental.

Palavras-chave: Ambiente não formal; Zoológico; Mídia; TDIC; Comunicação.

 

The zoo monologue: on the ways of a digital narrative?

Abstract: : Zoos are scientific institutions because they contain faunal collections with biological relevance, as well as having different repercussions on the characteristics of the biomes of origin of these living beings. From this comes their pedagogical potential, extendable to Basic Education with the consequent use of these places as non formal educational environments. A non-formal teaching environment, but with potential for teaching-learning and that meets the always avant-garde proposition of educational tourism made by Célestin Freinet. This work is an experience report about a field class that resulted in the construction of a digital narrative, which is proposed as a dialogue between school and institutional protagonists, in order to modify a reality within a socioenvironmental crisis model.

Keywords: Non-formal environment; Zoo; Media; TDIC; Communication.

 

Palavras-chave

Espaço não formal

Texto completo:

PDF

Referências

CARDOSO, H. R.; GATTIBONI, M. de L. S. Turismo pedagógico: uma alternativa para integração curricular. Professare, Caçador, v. 4, n. 1, p. 85-110, 2015.

DE ALMEIDA, M. E. B.; VALENTE, J. A. Integração currículo e tecnologias e a produção de narrativas digitais. Currículo sem fronteiras, v. 12, n. 3, p. 57-82, 2012.

DE QUADROS, C. I. et al. Aspectos comunicacionais da educação nas mídias sociais digitais: o caso do YouTube. Ação Midiática – Estudos em Comunicação, Sociedade e Cultura, n. 5, 2013.

FREDERICCI, D. Zoológico da UFMT vive fase melancólica. Circuito MT, abr. 2015. Disponível em: Acesso em: 17 jul. 2017.

FERREIRA, B. Os Zoológicos do Futuro Não Terão Jaulas. Motherboard. Disponível em: . Acesso em: 08 ago. 2017.

FORESTI, A.; TEIXEIRA, A. C. Proposta de um conceito de aprendizagem para a era digital/Proposal a concept of learning for the digital age. Revista Latinoamericana de Tecnologia Educativa - RELATEC, v. 11, n. 2, p. 55-68, 2012.

FORTUNATO, I. Aprendendo com Célestin Freinet: o passado ainda é presente. Learning from Célestin Freinet: the past is still present. Tendencias Pedagógicas, n. 27, 2016.

FREINET, C.; BATISTA, J. Pedagogia do bom senso. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

GRÉGIS, R. A. A alteridade no monólogo. Revista Virtual de Estudos da Linguagem – ReVEL, v. 4, n. 6, p. 1-7, 2006.

GOLDSCHMIDT, A. I. Professor, o que fazer no zoológico? Revista Ciências & Ideias, v. 7, n. 3, p. 60-87, 2017.

JACOBUCCI, D. F. C. Contribuições dos espaços não-formais de educação para a formação da cultura científica. Em Extensão, Uberlândia, v. 7, p. 55-66, 2008.

MARTINS, C.; RANCURA, K. G. DE OLIVEIRA; OLIVEIRA, H. T. DE As metodologias participativas no processo de elaboração de espaços educadores em zoológicos em uma perspectiva de educação ambiental crítica. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental - REMEA, v. 33, n. 1, p. 307-326, 2016.

MIYAMARU, F. et al. Hamlet no holodeck o futuro da narrativa no ciberespaço, por Janet Murray. São Paulo: UNESP, 2003.

NEVES, P. Baixo peso de onças do zoológico da UFMT chama a atenção de visitantes. Olhar Direto, Notícias/cidades, jul. 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 jun.2017.

PUHEK, M; PERŠE, M.; ŠORGO, A. Students’ Perceptions of Real and Virtual Fieldwork in Biology. Problems of Education in the 21st Century, v. 37, p. 98-108, 2011.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e pesquisa, v. 31, n. 3, 2005.

VALENTE, J.; DE ALMEIDA, M. E. B. Narrativas digitais e o estudo de contextos de aprendizagem. EaD EmRede - Revista de Educação a Distância, v. 1, n. 1, p. 32-50, 2014.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.