Compreensão do conceito de taxa de variação por professores em formação continuada

Autores

  • Vanilde Bisognin Universidade Franciscana-
  • Eleni Bisognin Universidade Franciscana-UFN

DOI:

https://doi.org/10.33238/ReBECEM.2018.v.2.n.1.19379

Palavras-chave:

Taxa de variação, Formação de professores, Imagem de conceito, Definição de conceito.

Resumo


Resumo: Neste trabalho, são apresentados resultados de uma pesquisa que tem como objetivo analisar como professores em formação continuada, participantes da disciplina de Fundamentos de Cálculo Diferencial de um curso de Mestrado em Ensino de Matemática, interpretam e relacionam as informações explicitadas pelas diferentes representações do conceito de taxa de variação. Para tanto foi aplicada uma sequência de atividades sobre as diferentes representações do conceito de taxa de variação e as respostas das questões foram analisadas e categorizadas. Os resultados apontam que, apesar de terem trabalhado o conceito de taxa de variação em seus cursos de licenciatura em Matemática, alguns professores ainda apresentam dificuldades para compreender esse conceito e relacionar suas diferentes representações. Pela análise dos dados, considera-se que as atividades propostas proporcionaram a evolução da ideia intuitiva de taxa de variação e favoreceram a compreensão desse conceito pelos participantes da pesquisa.Palavras-chave: Taxa de variação; Formação de professores; Imagem de conceito; Definição de conceito. Comprehension of the variation rate concept by teachers in continued trainingAbstract: In this work, results of a research are presented that aim to analyze how teachers in continuous formation, participants in the discipline of Fundamentals of Differential and Integral Calculus of a Master course in Mathematics Teaching, interpret and relate the information explained by the different representations of the concept of rate of variation. For this, a sequence of activities was applied on the different representations of the concept of rate of variation and the answers of the questions were analyzed and categorized. The results show that, although they have worked on the concept of rate of variation in their undergraduate courses in Mathematics, some teachers still find it difficult to understand this concept and to relate their different representations. By analyzing the data, it is considered that the proposed activities provided the evolution of the intuitive idea of rate of variation and favored the understanding of this concept by the research participants.Keywords: Rate of variation; Teacher training; Concept image; Definition of concept. 

Biografia do Autor

Vanilde Bisognin, Universidade Franciscana-

Professora Titular da Universidade Franciscana e participante do Curso de  licenciatura em Matemática e do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e de Matemática.

Eleni Bisognin, Universidade Franciscana-UFN

Professora do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e de Matemática da UFN, Santa Maria-RS

Referências

ALMEIDA, M. V.; IGLIORI, S. B. C. Educação Matemática no Ensino Superior e abordagens de Tall sobre o ensino/aprendizagem do Cálculo. Educação Matemática Pesquisa, São Paulo, v.15, n.3, p.718-734. 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Matemática, Bacharelado e Licenciatura. 2001. Disponível em: . Acesso em: 15 de mar. 2015.

FROTA, M. C. R.; NASSER, L. (Orgs.). Educação Matemática no Ensino Superior: pesquisas e debates. Recife. SBEM, 2009.

FROTA, M. C. R.; BIANCHINI, B. L.; CARVALHO, A. M. F. T. Marcas da Educação Matemática no Ensino Superior. (Orgs.). Campinas: Papirus, 2013.

GRAY, E.; TALL, D. Relationships between embodied objects and symbolic procepts: an explanatory theory of success and failure in mathematics. In: Psychology of Mathematics Education 25., 2001, Utrecht. Proceedings. p. 65-72.

LIMA, R. N. de. Equações Algébricas no Ensino Médio: uma jornada por diferentes mundos da Matemática. 2007. Tese (Doutorado em Educação Matemática) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2007.

MEYER, C. Derivada/Reta Tangente: imagem conceitual e definição conceitual. 2003. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2003.

MEYER, C.; IGLIORI, S. B. C. Um estudo sobre a interpretação geométrica do conceito de derivada por estudantes universitários. In: Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática, 2., Santos. Anais. São Paulo: SBEM, 2003.

PINTO, M. M. F.; CUNHA, S. R. O conhecimento esperado sobre limites e continuidade a partir de uma análise das provas unificadas de Cálculo I na UFRJ. Educação Matemática Pesquisa, São Paulo, v. 16, n. 1, p. 259-278, 2014.

PINTO, M. M. F. Learning and Experiencing the Mathematical Enterprise. In: SIMPSON, A. (Ed.). Retirement as Process and Concept: A Festschrift for Eddie Gray and David Tall. Praga: Karlova Universita, 2006. p. 195-204.

TALL, D. Students´difficulties in Calculus. In: International Congress on Mathematical Education, 7., Québec, 1992.Disponível em:

<http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.377.2989&rep=rep1&type=pdf>. Acesso em: 03 jun.2017.

TALL, D. Computer environments for the learning of mathematics. In: BICHLER, R. et al. (Eds.) Didatics of mathematics as a scientific discipline. Dordrecht: Kluwer, 1994. p.189-199.

TALL, D.; VINNER, S. Concept image and concept definition in mathematics with particular reference to limit and continuity. Educational Studies in Mathematics, v.12, p. 151-169, 1981.

TALL, D. Thinking through three worlds of mathematics. In: INTERNATIONAL CONFERENCE FOR THE PSYCHOLOGY OF MATHEMATICS EDUCATION, 28., 2004, Bergen, Norway. Proceedings… Bergen: PME, 2004. p. 281–288.

TALL, D. The Transition to Formal Thinking in Mathematics. Mathematics Education Research Journal, v. 20, n. 2, p. 5-24, 2008.

TALL, D. How humans learn to think mathematically. Cambridge: Cambridge University Press, 2013.

VINNER, S. The avoidance of visual consideration in Calculus students. Focus on Learning Problems in Mathematics, v. 2, n. 11, p.149-156, 1989.

VRANCKEN, S.; ENGLER, A. Una Introdución a la Derivada desde la Variación y el Cambio: resultados de una investigación con estudiantes de primer año de la universidad. Bolema, v. 28, n. 48, p.449-468, 2014.

Downloads

Publicado

03-05-2018

Como Citar

BISOGNIN, V.; BISOGNIN, E. Compreensão do conceito de taxa de variação por professores em formação continuada. Revista Brasileira de Educação em Ciências e Educação Matemática, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 27–40, 2018. DOI: 10.33238/ReBECEM.2018.v.2.n.1.19379. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/rebecem/article/view/19379. Acesso em: 28 set. 2021.